Ciência

Na Zâmbia, cientistas encontram as ferramentas de madeira mais antigas do mundo

Os vestígios de madeira são de cerca de 500 mil anos atrás, período que antecede a existência dos Homo sapiens
Imagem: Larry Barham/ Reprodução

Pesquisadores encontraram vestígios de ferramentas de madeira primitivas em um sítio arqueológico na Zâmbia. Os vestígios de madeira são de cerca de 500 mil anos atrás, período que antecede a existência dos Homo sapiens.

Apesar de não conseguirem identificar exatamente o que é a estrutura de troncos de árvore, o grupo acredita que ela pode ser a mais antiga do mundo.

Isso porque a madeira tende a se decompor rapidamente no solo, o que dificulta que arqueólogos encontrem materiais deste tipo feitos ou usados por ancestrais humanos. Eles conseguiram datar os vestígios e os resultados estão na revista Nature.

A surpresa ao encontrar madeira

Larry Barham e sua equipe começaram a escavação no sítio arqueológico de Kalambo Falls no início dos anos 2000. O objetivo era datar o sítio arqueológico e buscar ferramentas de pedra usadas por hominídeos no local.

Contudo, no primeiro dia de uma escavação realizada em 2019, os pesquisadores desceram por uma encosta até as margens do Rio Kalambo e notaram um pedaço de madeira. Ao se aprofundarem na região, eles encontraram várias peças de madeira que pareciam ter sido modificadas.

Na Zâmbia, cientistas encontram as ferramentas de madeira mais antigas usada por hominídeos

(Imagem: Larry Barham/ Reprodução)

Além disso, descobriram um tronco de 1,4 metro de comprimento com extremidades afuniladas, o que permite encaixá-lo em outras peças. Dessa forma, esse e muitos dos outros objetos de madeira apresentavam sinais de modificação intencional.

Segundo os pesquisadores, alguns objetos pareciam ser para escavação e outros poderiam ter ser cunhas. Segundo Barham, outras estruturas também podem ter sido plataformas de pesca, marcação de trilha e até mesmo um pequeno abrigo.

A “Idade da Madeira”?

Se a madeira durasse por milhares de anos, como as pedras, pesquisadores provavelmente já teriam descoberto um período chamado de Idade da Madeira — assim como existe a Idade do Bronze ou Idade dos Metais. No entanto, ainda é difícil encontrar vestígios preservados e conseguir datá-los.

Para descobrir de qual período eram as estruturas de madeira encontradas, os cientistas utilizaram uma técnica chamada datação por luminescência. Assim, chegaram à conclusão de que os objetos possuem pelo menos 476 mil anos de idade.

Isso antecede a evolução do Homo sapiens em mais de 100 mil anos, sugerindo que hominídeos que viveram muito antes já trabalhavam com o material.

Em Kalambo Falls, não foram encontrados restos de hominídeos. Contudo, em outro sítio arqueológico na Zâmbia, pesquisadores encontraram um crânio de 300 mil anos. Ele foi identificado como sendo de Homo heidelbergensis, um possível ancestral comum dos Homo sapiens e dos neandertais.

Por isso, pesquisadores não descartam a ideia de que os vestígios fossem de ferramentas feitas por possíveis hominídeos. Agora, futuras escavações em Kalambo Falls podem fornecer evidências mais fortes sobre a presença humana e o uso do material.

Assine a newsletter do Gizmodo

Bárbara Giovani

Bárbara Giovani

Jornalista de ciência que também ama música e cinema. Já publicou na Agência Bori e participa do podcast Prato de Ciência.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas