O Invisible Girlfriend e Invisible Boyfriend não são os primeiros apps a prometerem uma companhia virtual. Mas eles talvez sejam os que melhor cumpram a promessa de enganar seus amigos fazendo-os pensar que você está namorando quando, na real, passa suas noites em casa, de pijama, comendo pizza, bebendo refrigerante e assistindo a séries na Netflix.

“Como eles funcionam?”, você deve estar se perguntando. Bom, depois de baixar o app correspondente ao seu gênero, você paga uns trocados à empresa para ela mandar mensagens e selfies colaborativas. Aí você, amigo solitário, já sabe: é só fingir que essas mensagens vieram de um ser humano real e desviar de interações sociais de verdade para que você consiga responder à sua cara-metade forjada. “Nosso serviço custa US$ 24,99 e inclui 100 mensagens de texto, 10 mensagens de voz e uma carta manuscrita,” disse ao Betabeat o cofundador Kyle Tabor. “Estamos estudando a criação de pacotes mais baratos e mais caros na medida em que aprendermos o que nossos usuários querem.”

A empresa, sediada em St. Louis, começou como uma brincadeira quando Matthew Homann, o outro co-fundador, comprou os domínios invisiblegirlfriend e invisibleboyfriend, nove anos atrás. Em 2009, os dois inscreveram a ideia dos apps correspondentes em um concurso local de startups e não é que eles ganharam? Agora, os dois jovens empresários dizem que desenvolveram um “tempero secreto” que torna as interações entre os clientes e seus namorados-invisíveis-robôs-de-mentira parecerem reais. Se bem que, imaginamos, pelo menos aquelas cartas escritas a mão contam com a participação de outro ser humano na relação.

Por ora, os apps só estão disponíveis em um beta fechado. Quer tentar? Aqui está a página para uma namorada invisível, e aqui a do namorado invisível. E caso você esteja tão na fossa que nem uma ideia de como você conheceu sua namorada de mentira aparece, nos sites tem um formulário que cria uma para você. Serviço completo.  [Betabeat]