Depois que a Samsung avisou que o Galaxy S e o Galaxy Tab não seriam atualizados para o Ice Cream Sandwich, surgiram rumores – que muitos sites publicaram como fato – de que a Samsung voltou atrás: os aparelhos ou teriam ICS, ou teriam um “value pack” com funções do ICS no Android 2.3. A Samsung reiterou sua posição e desmentiu os dois boatos.

Sobre a atualização para o ICS, a Samsung disse à imprensa:

Uma atualização completa para o Android 4.0 Ice Cream Sandwich para o Galaxy Tab (7 polegadas) e o Galaxy S não é viável devido a limitações de hardware. A Samsung permanece comprometida em fornecer a melhor experiência móvel possível a todos os clientes existentes e novos.

Isso desmente apenas o boato da atualização para o ICS, mas e o Value Pack? Este foi desmentido por um porta-voz da empresa ao site The Next Web: a Samsung não vai oferecer esta atualização porque, segundo o porta-voz, os dois aparelhos “estão limitados à experiência Gingerbread e completamente otimizados para ela”. A empresa cita novamente limitações de hardware.

Em dezembro, a Samsung explicou que o Galaxy S e o Galaxy Tab não têm RAM e ROM o suficiente para rodar o Android 4.0 junto com o TouchWiz e outros softwares – como serviços da operadora, software de videochamada e TV. O Nexus S, com especificações praticamente iguais às do Galaxy S, já roda Ice Cream Sandwich – mas sem o software adicional dos outros aparelhos da Samsung.

Eu não fiquei surpreso com a decisão da Samsung, e sim com o anúncio que ela fez, de que a atualização não viria – pra mim, isso já era mais do que esperado. O Galaxy S e o Galaxy Tab foram lançados em 2010, tempo demais para aparelhos com Android serem atualizados oficialmente, não importando o hardware. Isso pode revoltar alguns usuários, mas a falta de atualizações é um dos motivos para o sucesso do Android – afinal, fabricantes e operadoras preferem não ser obrigadas por alguém (como Apple ou Microsoft) a fornecer atualizações. Para quem quiser o update, o jeito é usar ROMs customizadas, como o CyanogenMod. [Computerworld e The Next Web]