A NASA ultrapassou na última segunda-feira (21) a marca de mais de 5 mil exoplanetas contabilizados. Ganham esse nome os planetas que estão fora do nosso Sistema Solar.

O número é resultado de uma trajetória de mais de três décadas de telescópios que fornecem dados sobre corpos em órbita. Telescópios como o Hubble, afinal, ampliaram demais nosso conhecimento do universo, até então restrito aos planetas do Sistema Solar.

Segundo a NASA, os 5005 exoplanetas encontrados até agora têm características variadas. Na lista, há desde planetas pequenos e rochosos, como a Terra, a gigantes gasosos, muitas vezes maiores que Júpiter.

Há também “super-Terras”, possíveis mundos rochosos maiores que o nosso, e “mini-Netunos”, pequenas esferas de pedra gelada. A Agência Espacial dos Estados Unidos informa ainda que há também planetas orbitando duas (ou até três!) estrelas ao mesmo tempo.

“Não é apenas um número. Cada um deles é um mundo novo, um planeta totalmente novo. Fico animada com cada um porque não sabemos nada sobre eles”, disse Jessie Christiansen, astrofísica do Instituto de Ciência de Exoplanetas da NASA.

Assine a newsletter do Gizmodo

Os primeiros exoplanetas foram descobertos ainda na década de 1990, e os cientistas acreditam que nossa galáxia tenha centenas de bilhões deles. A expectativa é que os novos telescópio, por exemplo, o recém-lançado James Webb, possam fazer novas descobertas nos próximos anos.

“Na minha opinião, é inevitável que encontremos algum tipo de vida em algum lugar – provavelmente de algum tipo primitivo”, disse Alexander Wolszczan, autor do artigo que há 30 anos confirmou os primeiros exoplanetas.