O universo de fato nos surpreendeu. Em vez de um sinal fraco que esperávamos encontrar, eis que recebemos este som explosivo seis vezes mais alto que qualquer um poderia prever.

De acordo com a NASA, “a fonte deste fundo de rádio cósmico continua sendo um mistério”. Não são estrelas primordiais, não é nenhuma fonte de rádio conhecida e, de fato, o problema neste caso é que “não há galáxias de rádio o suficiente para contabilizar o sinal”. Em outras palavras, nada no cosmo conhecido é capaz de produzir tal som ensurdecedor. A Universidade de Maryland – parte da equipe ARCADE da NASA – diz que, para obter este tipo de sinal, “você teria que encher galáxias de rádio no universo como se fossem sardinhas. Não sobraria espaço entre uma galáxia e a próxima”. Ou seja, em termos mais científicos: eles têm a menor noção de que raios pode ser esse troço.

O som foi detectado pela ARCADE, uma sonda erguida por balão que é resfriada a 1,5ºC acima do zero absoluto. O instrumento por si só fica dentro de um tanque de 1900 litros de hélio líquido para obter tal temperatura, que é a mesma temperatura da radiação cósmica de microondas.

Não é preciso dizer que sintonizar nesta playlist de iPod alienígena completamente inesperada e misteriosa fez com que os cientistas do Centro de Vôo Espacial Goddard ficassem mais excitados que o Jason Chen na Exposição de Entretenimento Adulto de Las Vegas. [NASA]