No final deste mês, alguns dos vídeos originais que capturaram o primeiro pouso na Lua serão leiloados. Mas eles não estão sendo vendidos pela NASA. Inacreditavelmente, essas gravações foram vendidas para um estagiário aleatório da NASA nos anos 1970, que não tinha ideia na época de que havia comprado uma parte importante da história.

Em junho de 1976, a NASA vendeu um monte de fitas de vídeo em um leilão de excedentes do governo na Base Aérea de Ellington, em Houston, Texas. Gary George, então estagiário da NASA no Centro Espacial Johnson, comprou 1.150 bobinas de fitas de vídeo magnéticas por apenas US$ 217,77 – mais de US$ 1.200 ajustados pela inflação, mas ainda assim um bom negócio.

Entre as 1.150 bobinas estavam 65 caixas de vídeo Amex de alta qualidade, fitas de 2 polegadas que custavam cerca de US$ 260 cada na época. George imaginou que poderia vendê-los para serem gravados e reutilizados por uma estação de TV local, e fez exatamente isso com a maioria das fitas. Mas felizmente, ele manteve os vídeos históricos.

De acordo com a Sotheby’s, foi o pai de George que percebeu pela primeira vez que essas fitas poderiam valer a pena no futuro. Um pequeno rótulo em uma das caixas dizia: “APOLLO 11 EVA | 20 de julho de 1969 REEL 1 [–3] ” e “ VR2000 525 Hi Band 15 ips”. Obviamente, isso era algo que deveria ser cuidado, e foi exatamente isso que eles fizeram.

Em 2008, a NASA começou a procurar algumas de suas gravações originais do pouso na Lua. A agência espacial tinha cópias, mas elas não tinham as gravações originais de alguns dos eventos, que ofereciam imagens mais nítidas e melhor contraste do que as dublagens. Foi quando George limpou as fitas e apareceu.

Curiosamente, George alega que ele não pôde chegar a um acordo com a NASA sobre as fitas, o que quer que isso signifique. Nossa suposição é que ele queria muito dinheiro e a NASA não pôde pagar, embora não tenhamos certeza. O Gizmodo entrou em contato com a Sotheby’s para esclarecimentos.

Aqui está a descrição de Sotheby sobre o que aconteceu:

Mas apesar de Gary George ter mantido as três fitas de vídeo com ele ao longo dos últimos quarenta e três anos, ele não pensou muito nelas até o início de 2008, quando um colega do Texas – que também era engenheiro de vídeo da NASA – mencionou a Gary que a agência espacial estava tentando, sem sucesso, localizar seus vídeos originais do Apollo 11 EVA em antecipação ao quadragésimo aniversário do primeiro pouso tripulado na lua. George foi colocado em contato com a NASA sobre suas fitas, mas em última análise não foi possível chegar a um acordo sobre o que fazer com elas – ou até mesmo como visualizá-las.

Deixado à própria sorte, George conseguiu entrar em contato com o arquivista de vídeo David Crosthwait, da DC Video, em Burbank, Califórnia. O estúdio de vídeo da DC tinha equipamento capaz de reproduzir as fitas de vídeo agora vintage. Em outubro de 2008, as fitas de vídeo de Gary George foram tocadas no DC Video, muito possivelmente pela primeira vez desde que foram gravadas. Milagrosamente, as fitas estavam em perfeitas condições, exibindo uma qualidade de imagem superior a qualquer outra fita de vídeo existente. Em dezembro de 2008, as fitas de George foram tocadas pela segunda vez desde que ele as comprou em 1976, e foram digitalizadas diretamente para arquivos não-comprimidos de 10 bits, mantendo suas especificações originais 525 SD4/3 e baixadas em um disco rígido de um terabyte (que está incluído como parte da venda desses três rolos de vídeo). Essa havia sido a última vez que essas gravações foram reproduzidas até especialistas da Sotheby para esse leilão assistirem para confirmar sua qualidade.

Quanto à Nasa, a agência abandonou sua busca depois de concluir que os quarenta e cinco rolos das gravações de alta resolução do SSTV da Apollo 11 EVA haviam sido “desmagnetizados” ou, mais claramente, apagados e gravados por cima. E qualquer fita duplicada de 2 polegadas quadruplex gravada pela NASA, similar àquelas compradas por George, teve o mesmo destino ou – talvez pior – foi irremediavelmente danificada devido a um mal protocolo de armazenamento. A NASA completou as bodas de rubi do Apollo 11 em 2009, contratando a Lowry Digital para restaurar e melhorar as imagens do EVA que foram salvas pela CBS Television.

Agora as fitas originais podem ser suas, desde que você tenha uma pilha de dinheiro por aí. A Sotheby’s estima que elas poderiam ser vendidas por cerca de US$ 700 mil. Então vá em frente e sacuda as almofadas do sofá e venda o seu iate ou o que quer que seja, se você quiser ter um pedaço da história da NASA.

As fitas, junto com muitos outros artefatos, estarão à venda em 20 de julho de 2019 – o 50º aniversário dos humanos pousando na Lua.