Ontem a NASA anunciou o que o rover Mars 2020 vai levar para a superfície de Marte e um dos itens é coisa de ficção científica: a MOXIE é uma máquina que suga o dióxido de carbono da atmosfera marciana e o transforma em oxigênio puro para ser usado como combustível — um dia esse oxigênio pode servir para que os seres humanos respirem por lá.

O Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment (MOXIE) é um dos sete instrumentos que estarão afixados ao rover 2020, que totaliza aproximadamente US$130 milhões em equipamentos. Michael Meyer, cientista chefe do Projeto Exploração de Marte fala um pouco sobre as possibilidades do Moxie:



Ele é extremamente útil para o futuro da produção de combustível para foguetes e para quando os seres humanos forem explorar Marte. É um grande passo no sentido de ajudar a futura exploração humana do planeta vermelho.

Claro que quando a NASA colocar a máquina em Marte, em 2020, ela servirá principalmente como um dispositivo de testes para analisar a atmosfera marciana, a gravidade do lugar e outras condições ambientais que afetam a produção de oxigênio. Como Bill Gerstenmaier, da NASA, explicou:

Nós não estaremos exatamente usando o oxigênio, mas vendo como podemos criá-lo, quais são os níveis de produção, qual é a eficiência. É sobre esse tipo de coisas que queremos aprender usando o MOXIE. Se você puder fazer um propulsor para ser usado na fase de subida, quando estivermos deixando o planeta, isso realmente muda a missão. Ou se você puder criar a armazenar oxigênio antes da chegada de uma equipe, você terá um ambiente habitável quando eles chegarem lá.

Uma tecnologia similar foi usada por anos para fazer oxigênio de dióxido de carbono na Estação Espacial Internacional, mas o 2020 vai ser a primeira vez em que a NASA coloca a máquina em outro planeta. Parece com algo que poderíamos ler nas páginas de um livro de ficção científica.