Quando você está voando por aí no espaço, onde não há ar ou resistência do vento, a aerodinâmica não é tão importante. É por isso que a nave Borg, de Star Trek, é apenas um cubo gigante e funciona bem mesmo assim. Porém, quando as naves também estão visitando planetas com atmosferas, a aerodinâmica entra, sim, na jogada — e, aparentemente, nem os Rebeldes ou o Império em Star Wars sabe coisa alguma sobre como projetar devidamente veículos voadores.

• Foram necessários dez dias para imprimir essa Millenium Falcon de uma única vez

O youtuber EC Henry colocou modelos 3D das populares naves de Star Wars em um aplicativo da Autodesk chamado Flow Design, que consegue simular e ilustrar como um veículo se move por vários meios, como pelo ar respirável que parece existir na maioria dos planetas em uma galáxia muito, muito distante. Basicamente, ele consegue calcular o coeficiente de resistência aerodinâmica e entender qual espaçonave tem melhor aerodinâmica.

A icônica X-wing, que consegue viajar pelo espaço na velocidade da luz, é, na verdade, muito menos aerodinâmica do que os jatos de combate comparativamente primitivos que usamos aqui na Terra. Pior ainda é o combatente TIE, do Império, que é um desastre aerodinâmico e seria ultrapassado até por um Mynock sempre que tentasse batalhar na superfície de um planeta — apesar do que filmes como O Despertar da Força querem que você acredite.

[YouTube via Popular Mechanics]

Imagem do topo: Reprodução