Detectores de fumaça não costumam ser objetos muito queridos por aí: eles emitem barulhos chatos a todo momento e o fundamental é que eles funcionem apenas na hora que realmente são necessários – quando há fogo. Eles precisam ser esquecidos quando tudo está ok. A Nest apresentou hoje o Protect, um alarme conectado via Wi-Fi que permite que você mantenha controle sobre tudo na sua casa – e ele é útil até mesmo quando tudo está funcionando da maneira como deveria.

Antes de criar o Protect, o pessoal da Nest estudou quais são as principais reclamações e o que há de errado com os alarmes tradicionais. Em uma visita ao escritório do Gizmodo há algumas semanas, eles nos falaram um pouco sobre isso. A primeira reclamação: a bateria sempre acaba durante a noite e o alarme começa a apitar para avisar, atrapalhando o sono de todo mundo na casa. Segundo a Nest, isso é causado por uma falha bem simples de design: como a temperatura cai à noite, as baterias esfriam – ativando o sensor que detecta baixa energia. É um problema incrivelmente besta, mas tem um grande impacto: segundo a empresa, quase dois terços das mortes por fogo poderiam ser evitadas se a bateria funcionasse como deveria.

Esta é uma das muitas falhas que a equipe da Nest quer solucionar com o Protect. Este pequeno dispositivo com ponta chanfrada quer ser um hub para uma casa conectada – um sistema que diz quando tudo está bem, assim como avisa quando algo está errado. Então o que há por dentro dele?

nestprotect

Sensores que simplificam

O Protect conta com diversos sensores diferentes – de fumaça e monóxido de carbono, é claro, mas também calor, luz, movimento e ondas ultrassônicas. Esses sensores não estão lá apenas para fazer volume, ou transformar sua casa em um laboratório de experiências de Big Data. Eles estão lá porque cada um deles ajuda o dispositivo a funcionar direito em diversas situações diferentes.

Um caso bem comum: uma pessoa esquece algo no forno. Após perceber a fumaça, o Protect vai soltar um alerta de voz avisando que fumaça foi detectada, em vez de simplesmente disparar um alarme (a voz é feminina porque, de acordo com estudos da Nest, crianças pequenas são mais facilmente acordadas por vozes femininas do que por alarmes). Se a pessoa estiver em outro cômodo, o sensor de movimento vai detectar isso e enviara o alerta para outro Protect da casa via Wi-Fi. O app reformulado da Nest também vai enviar notificações Push para o smartphone, junto com a opção de ligar para serviços de emergência. O anel de luz LED no centro do Protect acende em um amarelo vibrante – algo está errado.

Como é um alarme falso, ele pode ser facilmente silenciado ao movimentar as mãos próximo ao Protect, ou ao descartar a notificação push. Se a fumaça não baixar, o alerta aumenta para um alarme de buzina, e a luz LED fica vermelha. Após o perigo passar, o sistema de voz do Protect avisa que tudo está de volta ao normal, e a luz LED brilha em verde.

Um eletrodoméstico esperto

A ideia é muito boa, mas por fora o Protect não é muito diferente de outros alarmes “smart”, como o Canary, que também usa notificações push. O que diferencia ele dos outros é como ele age quando tudo está ok na sua casa.

Quando as baterias do Protect estão acabando, por exemplo, a luz fica amarela e uma mensagem de voz explica o que está acontecendo (e notificações push são enviadas também). Mas quando as baterias estão cheias e nada de errado acontece na casa, outra funcionalidade esperta do Protect se torna útil. Se você desliga as luzes à noite, o anel LED fica verde – é a forma do Protect avisá-lo de que tudo está bem e você pode ir dormir.

Outro recurso bacana? Se você levantar durante a noite, o sensor de movimento perceberá – o anel LED vai emitir uma luz branca para guiar o seu caminho até o banheiro (ou a cozinha). E se o Protect detectar monóxido de carbono, ele vai notificar seu termostato Nest para automaticamente desativar o gás da sua casa, evitando potenciais vazamentos. Novamente, isso não foi feito para adicionar complexidade à sua vida – na teoria, é feito para torná-la mais simples. Ele não funciona apenas como um detector de fumaça – é um sistema que verifica que tudo está ok na sua casa de acordo com a sua necessidade do momento.

original (12)

A Internet das Coisas em casa

O Protect terá o mesmo sucesso comercial do seu irmão mais velho, o termostato da Nest lançado em 2011? O CEO da empresa, Tony Fadell, tem um histórico positivo de lançamentos bem sucedidos de produtos que ninguém sabe que precisa – antes de fundar a Nest, ele trabalhou na Apple e foi uma das cabeças por trás da criação do iPod.

Mas a Nest não está criando o “iPhone para o lar” – não é nada disso. O Protect se encaixa em uma categoria nova de dispositivo, um que não exige nenhuma touchscreen nem interface de usuário. Em vez disso, sua interface é ambiente: um sistema de luzes suaves, controles de voz e comandos por gestos que tentam se esconder no plano de fundo da nossa vida cotidiana.

Quando o Protect chegar às prateleiras dos Estados Unidos no fim do mês, tanto a versão de 120V quanto a que funciona com bateria custarão US$ 129. Mais barato do que o primeiro dispositivo da Nest e mais acessível também – é muito mais fácil instalar um alarme de incêndio do que um termostato. Ele também vai encarar um mercado muito maior: nos EUA, para cada termostato vendido são vendidos mais três detectores de fumaça. Se tudo sair como o planejado, o Protect pode ser o dispositivo que leva a Internet das Coisas para a sua casa. [Nest Protect]

original