Há alguns meses, a Dell declarou ter se tornado “neutra em carbono”. Ao ouvir isso você pensaria que isso significou que ela incrivelmente reduziria sua emissão de carbono até o ponto de não mais contribuir com os gases causadores do efeito estufa. Balela.

A declaração de neutralidade da Dell se baseia nas emissões de carbono produzidas por suas caldeiras, seus carros, viagens de avião e uso de eletricidade. No entanto, o que não está incluído é qualquer coisa relacionada com a fabricação de fato dos computadores. E segundo o Wall Street Journal, também não está incluído a gasolina usada por seus fornecedores e nem o combustível usado para transportar os computadores por todo o mundo. A Dell mesma admite que o carbono emitido em função de seus fornecedores e consumidores é numa quantidade cerca de 10 vezes maior do que as emissões que a Dell assume como próprias. O jornal de Wall Street estima que eles estão “neutralizando apenas 5% dos gases de efeito estufa emitidos em razão da fabricação e uso dos seus produtos”. Ainda assim, grande parte da neutralidade vem do fato de que ela tem comprado créditos de carbono e não em razão de práticas verdadeiramente sustentáveis, como usar nos seus depósitos apenas energia limpa.

Os consumidores – e como eles usam os produtos – a Dell não precisa mesmo levar em conta. No entanto, qualquer coisa que vá desde a fabricação dos computadores até a entrega deles em sua casa deveria ser de responsabilidade da Dell. Então eles se intitularem como “neutros em carbono” nesse momento é no mínimo nada ingênuo, mesmo que eles estejam se esforçando bastante para serem sustentáveis. Segundo outra reportagem do Wall Street Journal, a Dell ainda assim pode estar melhor que a Apple.

E falando em boi, já que a sede da Dell é no Texas, eles têm na verdade um bom estoque de energia renovável nas redondezas. [WSJ]