Depois de nove anos e uma viagem de quase 5 bilhões de quilômetros, a sonda robótica New Horizons da NASA despertou de sua hibernação, preparando-se para sobrevoar Plutão e outros corpos celestes no Cinturão de Kuiper.

No sábado, um despertador pré-configurado tirou a New Horizons de seu modo de hibernação. Devido à extrema distância, a NASA só recebeu a confirmação seis horas depois que isso aconteceu.

Daqui a seis semanas, em 15 de janeiro de 2015, a sonda começará suas observações científicas em Plutão e em algumas de suas luas no cinturão de Kuiper.

A missão de US$ 700 milhões, lançada em 2006, tem por objetivo mapear a composição da superfície de Plutão, além de sua atmosfera e temperatura.

A New Horizons também nos ajudará a entender melhor a maior “lua” dele, chamada Caronte. Ela tem metade do diâmetro de Plutão, e não sofre dominância gravitacional dele – é como se fosse um planeta-anão. A sonda também vai verificar se Caronte tem uma atmosfera.

E tem mais: a New Horizons poderá levar uma mensagem dos humanos para os alienígenas. Jon Lomberg, que colaborou com Carl Sagan em vários projetos, vai preencher a sonda com dados depois que ela enviar todas as informações sobre Plutão para a Terra. Esta nova mensagem será um retrato da nossa época; no início de 2015, você poderá ajudar a escolher o que será enviado.

Trajetoria da New Horizons ate Plutao
Trajetória da sonda New Horizons, saindo da Terra até Plutão/NASA

A New Horizons fará sua maior aproximação em 14 de julho de 2015. A sonda não entrará em órbita em torno de Plutão; ela vai passar tão rápido que só conseguirá fotografar um dos hemisférios de perto. Os planejadores de missão dizem que há dois motivos para tanto:

O primeiro motivo está relacionado à engenharia. Para chegar a Plutão (que está a 5 bilhões de quilômetros da Terra) em apenas 9,5 anos, como é o caso da New Horizons, a sonda precisa viajar muito, muito rápido. Por isso, ela vai passar por Plutão a uma velocidade de cerca de 43.000 km/h. Para entrar em órbita, os operadores teriam de reduzir essa velocidade em mais de 90%, o que exigiria mais de 1.000 vezes o combustível que a New Horizons pode carregar.

O segundo motivo é científico: se nós parássemos para entrar em órbita, não poderíamos continuar a viagem e explorar o Cinturão de Kuiper!

A sonda deve explorar este cinturão entre 2016 e 2020. A missão New Horizons está prevista para durar até 2026. [New Horizons via io9]

Imagem: representação artística da sonda New Horizons se aproximando de Plutão/NASA