Faz sentido que a Nikon esteja anunciando uma câmera com Wi-Fi, assim como todo mundo. Para que substituiu uma câmera de verdade pelo smartphone, tirar fotos e postá-las online são uma atividade só. Mas a Coolpix S800c roda Android 2.3 e tem 4GB de armazenamento para apps. Bem, as fabricantes ainda não conseguem tornar o Wi-Fi útil em uma câmera. Talvez o Android consiga?

Fora o Android, a Coolpix S800c é como qualquer outra point-and-shoot com Wi-Fi: ela tem sensor CMOS retroiluminado de 16 megapixels, zoom ótico de 10x, GPS embutido, controles touchscreen e vídeo em Full-HD por US$350. Com estas especificações e preço, temos câmeras Wi-Fi bem semelhantes, como a Samsung MV900F ou a Canon 530HS.

Exceto por uma importante diferença: as funções de conectividade nas outras câmeras Wi-Fi são muito mal feitas, a ponto de serem inúteis. E apesar de algumas câmeras terem melhorado, o problema não mudou. Hoje em dia, Sony, Panasonic, Samsung e Canon têm suas próprias interfaces Wi-Fi, que se conectam a diversos apps proprietários de smartphone e sistemas de armazenamento na nuvem. Nós já usamos as mais baratas e mais caras, e por enquanto ainda não estamos impressionados. Se essas câmeras têm que ter Wi-Fi, por que não é fácil usá-lo de fato? Com essa experiência ruim, dá vontade de ligar a câmera no computador e pegar as fotos usando fios, mesmo.

Você pode falar o que quiser sobre o Android 2.3, lançado em 2010, só que pelo menos ele funciona. Imediatamente, o usuário entende a interface, se ele já usou um smartphone. E talvez o mais importante: colocar Android na câmera permite usar seus próprios apps de câmera – a Coolpix S800c poderia rodar Instagram. (A Nikon sugere que ela tem acesso ao Google Play.) Se câmeras com Android virarem moda, quem sabe desenvolvedores não pensam em apps específicos para elas?

Mesmo assim, o Android na câmera não resolve todos os problemas: como será o consumo de bateria? E o tempo de boot? O sistema será rápido o bastante? Colocar Android numa câmera apenas reflete como as fabricantes são incapazes: elas não conseguem criar um software decente só para usar Wi-Fi.

Talvez a gente apenas precise de uma forma simples de levar suas fotos para o celular/tablet, ou direto para a nuvem. O que você faz depois é por sua conta: a câmera já fez seu trabalho. Na verdade, testando diversas câmeras Wi-Fi, essa parece ser a função que todas querem ter. Agora é questão de acertar em cheio. Teremos mais detalhes sobre a mais nova leva de câmeras Wi-Fi – inclusive esta aqui – quando chegarem ao mercado americano no quarto trimestre. [Nikon USA]