Lembra os tempos do Orkut, quando era muito fácil criar uma conta fake? Tinha até revista adolescente dizendo que era legal! Aí migramos para o Facebook, onde criar perfis falsos é mais difícil. Mas, pelo visto, nem tanto: segundo o Facebook, 83 milhões de usuários são fakes, ou 8,7% do total.

Depois que entrou na bolsa de valores, o Facebook precisa revelar vários dados internos. Por exemplo, o total de usuários: são 955 milhões de contas ativas, que logaram no Facebook pelo menos uma vez no mês. (No Brasil, são 54 milhões, aumento de 146% em um ano.)

Mas desse quase bilhão de usuários, nem todo mundo é real. O Facebook diz que 4,8% das contas são “duplicadas”, são o segundo perfil de uma mesma pessoa. Por que isso? Perfil lotado, por exemplo: o limite máximo de amigos é 5.000, mas para alguns isso não é o bastante.

E ainda temos as contas “falsas”, divididas em duas categorias: perfis que deveriam ser páginas (como empresas, animais e outros); e perfis indesejados. Os perfis incorretos são 2,4% do total. Os perfis indesejados, feitos para spam e outros fins que violam os termos do Facebook, são 1,5%.

Somando as três categorias, temos 83 milhões de usuários. É muito para uma rede que pretende ser nossa identidade na rede. Mas imagina como era no Orkut? O Google nunca revelou quantos fakes havia em sua rede social, mas eram muitos – e alguns até viraram motivo de disputa judicial no Brasil. Espero que o Facebook não siga pelo mesmo rumo. [SEC.gov via CNET]

Foto por Ahmad Faizal Yahya/Shutterstock