por Felipe Ventura

A essa altura do campeonato, você já deve saber que a Nokia planeja voltar ao mercado de smartphones. O CEO Rajeev Suri deixou isso claro em uma entrevista no ano passado, e reiterou seu objetivo na feira Mobile World Congress.

Leia mais sobre o Mobile World Congress 2016:
>>> [Hands-on] CAT S60: o smartphone que permite ver como o Predador é impressionante
>>> Os detalhes da nova linha Sony Xperia X com smartphones de 5 polegadas

Atualmente, a Nokia está concentrada em vender equipamentos de rede para operadoras, mas Suri diz que “para nós, é quase uma obrigação fazer experimentos na área de produtos para consumidor”, porque a marca ainda é associada a produtos do tipo.

A Nokia não vai produzir nem distribuir os smartphones: ela cuidará apenas do design. Esta, no entanto, é uma grande responsabilidade: “nós não queremos apenas colocar logotipos no dispositivo de alguém”, disse Suri. “Ele precisa ter a sensação de um Nokia, de como a Nokia era conhecida.”

Por isso, ela está procurando um parceiro que possa vender o smartphone em todo o mundo, e que aceite cancelar o contrato se não forem atingidos padrões mínimos de qualidade – uma espécie de acordo pré-nupcial corporativo.

E quem será esse parceiro? Suri diz que não sabe se fará outro acordo com a Foxconn, que fabrica e distribui o tablet N1 (foto abaixo).

Nokia N1 - hands-on (1)

Na verdade, a Nokia está bem tranquila quanto a encontrar um parceiro. “Nós não estamos com pressa, não precisa haver uma afobação”, disse Suri. OK, mas quando chegará o próximo smartphone da Nokia? “Poderia acontecer em 2016, poderia acontecer depois”, afirma ele.

O executivo sugere, no entanto, que este não seria um smartphone barato: “se houver um produto com a marca Nokia, há a oportunidade de um preço premium”. A Nokia ganha dinheiro recebendo taxas de licenciamento e royalties, que podem ser maiores dependendo do preço do produto.

A Nokia não pode produzir celulares porque vendeu suas fábricas para a Microsoft. Pelo acordo de venda, ela terá que esperar até o terceiro trimestre de 2016 para licenciar sua marca a uma empresa de celulares.

5G

O CEO da Nokia está mais ansioso pelo 5G. Estimativas oficiais dizem que o padrão só estará completo em 2020, mas Suri diz que “nós começaremos a ver uma movimentação antes disso – em 2017, 2018, 2019”.

A Nokia anunciou sua tecnologia de próxima geração para estações-base, chamada AirScale Radio Access, e disse que ela está “pronta para o 5G” – principalmente porque boa parte do sistema depende de software.

Segundo a Nokia, o 5G trará altas velocidades para vídeo e realidade virtual, baixa latência para a comunicação entre veículos, e a capacidade de conectar milhares de dispositivos a uma só torre celular – algo importante para a internet das coisas (IoT). Testes preliminares do 5G atingiram velocidades de até 7,5 Gbps, trinta vezes mais rápido que o 4G.

[Re/code – CIO.comTechCrunchPCWorld]

Veja os principais lançamentos do Mobile World Congress:

Fotos por Nokia, Gizmodo e Huawei