A Wikipédia empossou oficialmente em janeiro sua nova CEO, a egípcia Maryana Iskander, 46 anos, radicada nos Estados Unidos.

E antes mesmo dela assumir oficialmente, já falava sobre como seria o futuro do site, sobre mudanças e inclusão. A nova diretora-executiva quer mais diversidade racial na base de quem cria o conteúdo da plataforma.

“Acho que tentar aumentar a diversidade de quem cria conhecimento, quem edita conhecimento, essa tem sido a longa prioridade do movimento e da fundação [e] ressoa massivamente com meus próprios valores pessoais”, disse Iskander em entrevista recente ao The Washington Post.

A Wikipédia é uma grande enciclopédia digital baseada no voluntariado. Todos podem participar, a menos que você tenha tentado repetidamente prejudicar a qualidade do site. Questionada sobre a qualidade dos artigos encontrados na plataforma, Iskander preferiu falar sobre neutralidade.

Para ela, buscar informações na plataforma, é saber que as informações que estão lá, não batem o martelo sobre uma verdade ou mentira, mas sim no que pode ser verificado. Ressalta que o objetivo é manter o debate de forma transparente e com fontes e citações para respaldar as afirmações. “Wikipédia não deve ser a verdade.

A Wikipédia se concentra no que é correto, no que pode ser verificado e como podemos apresentar isso de uma maneira que permita ao leitor tirar conclusões bem informadas sobre o que está acontecendo no mundo”, disse ao Post.

Há algum tempo, a Wikipédia vem sendo criticada pela prevalência de homens brancos no topo da plataforma, ocupando cargos maiores. Perguntada a respeito em uma recente entrevista para o site Axios, a CEO disse que a empresa precisa tentar muitas abordagens diferentes para mudar isso.

Antes de chegar a Wikipédia, Iskander foi CEO do Harambee Youth Employment Accelerator na África do Sul e também foi diretora de operações da Planned Parenthood Federation of America em Nova York.

Leia também: Frog ID: sim, existe uma “wikipédia” só para os sapos!