No final de agosto, o Spotify adotou uma nova política de privacidade que fez alguns usuários desistirem de usar o serviço, porque pedia mais dados do que seria necessário para oferecer música. O CEO Daniel Ek se desculpou e anunciou esta semana uma nova política, bem mais clara e menos invasiva.

O Spotify queria ver seus contatos e fotos, rastrear sua localização e ouvir sua voz sem explicar por que faria isso, e sem deixar totalmente claro que isso seria opcional.

Agora, a política de privacidade conta com uma introdução que deixa tudo mais detalhado. Há dois tipos de dados para o Spotify: informações essenciais para o serviço; e informações complementares que você pode oferecer se quiser.

Na primeira categoria, estão coisas como o seu nome, país (para saber qual catálogo liberar) e alguns sensores do seu dispositivo (como o acelerômetro, para girar a interface no smartphone).

Na segunda categoria, estão estas informações opcionais:

Sua localização específica: nós nunca iremos coletar ou utilizar a sua localização específica do dispositivo sem primeiro obter sua permissão explícita. Esta informação nos permite criar experiências colaborativas de escuta (somente com outras pessoas que também tenham dado permissão), e para oferecer recomendações ainda melhores sobre músicas populares no seu local, shows e eventos ao vivo.

Suas fotos: nós só iremos acessar as imagens que você escolher especificamente, e nunca vamos analisar ou importar a sua biblioteca de fotos ou rolo da câmera. Isso permite que você escolha imagens para mudar sua foto de perfil, ou criar arte de capa para uma lista de reprodução. Você pode interromper o compartilhamento de fotos e revogar o acesso a qualquer momento.

Seus contatos: nós nunca vamos analisar ou importar seus contatos, a menos que você nos peça. Se você optar por fazê-lo, só vamos usar suas informações de contato para ajudar a encontrar amigos ou contatos que usam Spotify.

Seu microfone: nós nunca iremos acessar ou usar o microfone, a menos que você nos dê permissão explícita. Isso pode permitir que você controle o Spotify com a sua voz, e você sempre poderá desabilitar o acesso ao microfone.

Algo, no entanto, continua inalterado: seu número de cartão agora pode ser armazenado pelo próprio Spotify; antes, ele necessariamente iria direto para empresas de pagamento.

… as informações de cartão de crédito ou débito (como o tipo de cartão e data de validade) e outros dados financeiros de que precisamos para processar o seu pagamento podem ser coletadas e armazenadas por nós e/ou os processadores de pagamento com os quais trabalhamos.

Dadas as recentes invasões a empresas que revelaram dados de cartão, isso não nos parece ideal.

A nova política de privacidade ainda não está disponível em português. Você pode conferir neste link nossa comparação das duas versões (de agosto e atual) em inglês.

Markus Persson, fundador da Mojang (criadora do Minecraft), e Henrik Pettersson, gerente de projetos na Mojang, fecharam a conta deles no Spotify por causa da mudança na política de privacidade. Agora que ela foi revisada, eles ainda não se manifestaram.

[Spotify Blog via Engadget]

Foto por Maria Iglesias Barroso/Flickr