A primeira Microsoft Band era uma pulseira que acompanhava sua atividade física usando 10 sensores. A segunda versão traz um design melhorado, mais um sensor e mais recursos de software.

A Microsoft Band agora conta com uma tela OLED curvada com Gorilla Glass 3, e parece ser bem mais confortável no pulso.

Ela conta com um barômetro, que acompanha mudanças de elevação em tempo real. Isso pode ser bastante útil em escaladas, ciclismo ou até mesmo ao subir escadas.

A pulseira também mede quantos passos você percorreu, quantas calorias você queimou, e quanto tempo você dorme. Há um monitor de frequência cardíaca, um sensor de ultravioleta para medir sua exposição ao sol, mais um sensor de resposta galvânica da pele para medir estresse. Ela também tem GPS embutido.

Microsoft Band 2 (2)

Ela conta com novos poderes de software do Microsoft Health para estimar seu VO2 max, volume máximo de oxigênio que o corpo pode processar. Trata-se de um número incrivelmente importante para saber a intensidade de exercícios aeróbicos.

Para descobrir o seu VO2 Max, normalmente é preciso realizar um teste de esteira enquanto você veste uma máscara e um monte de fios. É horrível: eles fazem você usar um arnês para não se machucar quando cair da esteira devido à exaustão. A Band, no entanto, promete estimar seu VO2 Max usando nada mais do que o sensor de frequência cardíaca e alguns algoritmos.

Há recursos especialmente para golfe – por exemplo, ele reconhece e não conta tacadas de teste. E a Microsoft Band também serve como um smartwatch, recebendo notificações e se integrando a apps de monitoramento como Runkeeper, MyFitnessPal e Strava; apps para pedir comida, como Starbucks e Subway; mais apps populares como Uber, Facebook e Twitter.

A nova Microsoft Band estará em pré-venda ainda hoje por US$ 250, e chega às lojas nos EUA em 30 de outubro. Saiba mais aqui: [Microsoft Band]

Atualizado às 13h14