Eu sei, eu sei. O povo de tecnologia passou todo esse tempo babando ovo das fluorescentes, e agora é possível que as velhas lâmpadas incandescentes voltem a ser aceitáveis por conta de uma nova tecnologia que sela o filamento numa cápsula especial com reflexão de calor. Olha a ousadia!

O blog Green Inc., do NY Times, diz que a cápsula interna dessas novas lâmpadas, desenvolvida pela Deposition Sciences na Califórnia, é coberta com um material que é capaz de refletir o calor de volta ao filamento, o que em parte se transformaria em mais luz. Essa tecnologia, atualmente presente na linha Philips Halogena Energy Savers, resultou em uma economia de 30% de energia, além de um tempo de vida três vezes maior que as incandescentes normais.



E quanto às flurescentes? Sim, elas ainda são 2,5x mais eficientes que essas novas incanscescentes, mas elas (as incandecsentes novas) vão ficar mais eficientes com o tempo, não levam uma eternidade para esquentar até o ponto de iluminação máximo, não fazem a sua casa parecer um laboratório e não contém mercúrio. Mas elas também custam cinco dólares cada uma, então… [Green Inc. via Slashdot]