É fácil ver o que aconteceu aqui: confrontado com um batalhão de máquinas sem funcionar – usadas para escrever formulários em folhas de carbono sobre bens encontrados com um suspeito e pouco além disso – a Polícia de Nova York poderia ou fazer um upgrade e informatizar o sistema inteiro, possivelmente economizando tempo, dinheiro e moral no longo prazo; ou apenas consertar e trocar o equipamento atual. Por uma variedade de razões plausíveis – custo imediato, tempo, falta de cooperação com o governo, etc – escolheram o segundo caminho.

Mas não deixe essas desculpinhas mudarem o absurdo que é essa situação. Essa é uma força policial do século 21, de uma metrópole, na qual praticamente todos os oficiais têm computadores pessoais, mas gasta – e continuará a gastar – seus dias perdendo tempo à frente de máquinas que o resto do mundo moderno só curte quando lembra de maneira nostálgica. [NYP via Yahoo via Reddit]