A Fernanda de Carvalho da Silva, da caravana de Utopia, já tem a dela. Já nós, meros mortais que realmente existem, começaremos a trocar nosso velho e verde RG pelo RIC, Registro de Identidade Civil, que vem até com chip no estilo cartão de crédito. Mas muita calma, apressadinhos: ela chega apenas em algumas cidades, para testar o sistema. O processo todo levará dez anos.

Lançado em dezembro, o RIC é a versão moderna do RG. Esqueça o dedão manchado de tinta na parte traseira – os dados biométricos, além da altura do cidadão, ficam armazenados no chip. E, sim, ele parece mesmo um cartão de crédito, inclusive no tamanho. Mas, por favor, não saia por aí enfiando seu novo documento nas maquininhas das lojas, sua vida vale mais do que isso.

Assim, alguns cidadãos selecionados aleatoriamente das cidades de Brasília, Rio de Janeiro e Salvador serão convocados para trocar os documentos. Cidades menores, como Hidrolândia, Ilha do Itamaracá e Rio Sono também estão no bolo, para testar a adesão do sistema em locais mais isolados. A promessa é que em 2011 cerca de 2 milhões de brasileiros façam a troca. Apesar do número pequeno — praticamente 1% da população — a promessa é que a substituição completa seja concluída em dez anos.

Ou seja, teremos alguns exibidos andando de carteira aberta e mostrando o RIC por todos os cantos. Se ele ainda der a sorte de pegar uma das novas cédulas de R$50 ou R$100, aí ninguém segura mesmo. [Info]