Se os quase 10 GB de dados vazados do site Ashley Madison já eram muito para você, prepare-se: outros 20 GB foram jogados na rede. E parte dessa nova carga inclui emails de Noel Biderman, CEO da Avid Life Media, a empresa dona do site de traição.

O novo arquivo torrent com mais dados sigilosos tem exatos 19,92 GB que se aproximam mais do hack feito a Sony no final do ano passado: eles incluem dados internos, de funcionários do Avid Life Media, mais relacionados ao design e desenvolvimento do site do que informações de usuários do site:

1394154142244254753

Existe, no entanto, uma pasta chamada “noel.biderman.mail.7z” que parecer conter apenas emails enviados e recebidos pelo CEO. São quase 13 GB só nesta pasta, mas, segundo o Motherboad, ela está corrompida. Será que vamos descobrir o executivo discutindo sobre o comportamento de celebridades que possivelmente usaram o site, assim como Amy Pascal discutia o comportamento de atores famosos em filmes de Sony? Teremos que aguardar para ver.

8638328970_ff159d5e29_k

Noel Biderman, CEO da Avid Life Media, durante uma palestra TED. Foto: TEDxWaterloo/Flickr

Até lá, ainda temos os 10 GB do primeiro vazamento para avaliar. Dele, já descobrimos que quase 90% dos usuários do Ashley Madison são homens e grande parte das usuárias do site não passam de perfis falsos — de acordo com informações do Dadavitz, dos 36.398.874 usuários registrados no site, 31.343.378, equivalente a 86%, são homens. Poucos mais de 5.000.000 são mulheres:

4751408657072128

Ainda segundo o Dadavitz, 34% dos perfis cadastrados no Ashley Madison, equivalente a 12.358.191, possuem email inválido, o que dá a entender que estas são contas falsas.

Além disso, também foram encontrados cerca de 15.000 endereços de email associados ao governo e exército americano nos primeiros 10 GB vazados. O que, de acordo com o The Hill, alertou o Pentágono a participar das investigações — o órgão se preocupa que membros das entidades governamentais que tenham usado o site com emails profissionais possam sofrer chantagem dos hackers ou de terceiros que tenham tido acesso aos dados vazados. Além de emails do governo americano, foram encontrados na base de dados emails do governo britânico e quase 1.000 emails do governo brasileiro. São 918 emails, para ser mais exato, também segundo informações do site Dadavitz. O Brasil é o segundo país com mais emails governamentais encontrados na base de dados, perdendo apenas para os EUA:

6467895289708544

Assim como o Pentágono, o FBI também investiga a situação e um oficial do Departamento de Defesa que permaneceu anônimo diz ao DefenseOne que os usuários que usavam emails do governo para acessar o site já estão sendo localizados por monitoramento de atividade. “Nós monitoramos certas coisas”, diz. Bem, os hackers também.

Mas a preocupação do Pentágono não deixa de ser válida, afinal, não são apenas informações pessoais, como endereço e números de cartão de crédito que estão presentes nos dados vazados. Ali está, inclusive, o que os usuários procuravam com outras mulheres e os desejos sexuais pessoais de cada um deles. Como mostramos, este vazamento não pode ser solucionado apenas com a troca do número de cartão de crédito: ele tem potencial para destruir a vida destes usuários no âmbito financeiro, social e profissional. Casamentos podem acabar e muita gente pode terminar sem emprego por causa deste hack.

A Avid Life Media ainda precisa confirmar que as informações vazadas são reais.O site Krebs on Security confirmou com três fontes que os dados encontrados ali eram reais; o repórter Sam Biddle, que criou um perfil no Ashley Madison para escrever uma matéria para o Gizmodo, também encontrou os próprios dados no site. Raja Bhatia, diretor de tecnologia do Avid Life Media, afirma ao Krebs on Security ver de 30 a 80 alegações de novos vazamentos por dia, mas que “a maioria desses vazamentos é inteiramente falso”.

Verdadeira ou não, as informações despejadas na rede pelo hack já estão sendo usadas, mesmo que de forma inocente. O Dadavitz classificou as 25 cidades com o maior número de usuários no Ashley Madison. O Brasil ocupa três postos das 25 cidades com mais usuários, São Paulo sendo a primeira de todas, com 374.542 usuários:

the-25-cities-with-the-highest-number-of-ashley-ma-1440000203.27-5743207

E quanto à veracidade das informações, uma mensagem na pasta com os emails de Biderman possui a mesma criptografia usada no vazamento anterior e pede que o CEO admita que o vazamento é real:

1394154142197413409

“Hey Noel, agora você pode admitir que é real” Talvez seja mesmo a hora, Noel. [MotherboadThe HillDefenseOneDadavitz]

Foto de capa: screengrab de Noel Biderman em palestra TED/YouTube