O Economist está com um excelente artigo sobre pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências que desenvolveram um projetor digital de cinema que usa lasers como a principal tecnologia de display. Ao fazer isso, estes projetores são capazes de exibir incríveis 80% da faixa de cores visível ao olho humano. Antes disto, a faixa de 60% que os filmes em 35mm ofereciam era considerada padrão para outros projetores e displays fazerem comparação entre si.

No passado, os projetores a laser não foram cogitados porque os lasers produziriam pequenas manchas na imagem, reduzindo assim a sua nitidez. Mas o que os pesquisadores fizeram foi combinar os lasers separados vermelho, azul e verde com tecnologia DLP para produzir uma imagem mais clara. Ao unir os lasers separados para produzir um laser branco e depois fazer com que a DLP reparta novamente em pixels RGB, cada laser cancela as manchas geradas pelos demais.

E não é só isso. Ao aumentar a intensidade dos lasers, estes novos projetores poderiam – pelo menos teoricamente – exibir 90% da faixa de cores visível consumindo 35% menos energia que um projetor de lâmpada de xenônio. O único problema agora para a tecnologia incipiente é o custo inicial. Considerando que os lasers duram muito mais que lâmpadas de xenônio e os cinemas poderão descartar os rolos sem sacrificar a qualidade da imagem, estes projetores a laser deverão ser uma opção bastante atraente. [The Economist]