Se você precisar fazer um avião de passageiros atravessar um continente sem voar nele, ou carregar uma nave espacial para o seu local de lançamento, ou ainda mandar o palco enorme da turnê de Snoop Dog para a Nigéria, você vai precisar da maior e mais forte aeronave do mundo: a Antonov An-225.

A Antonov An-225 Mriya é, simplesmente, a maior aeronave do mundo. Com 84 metros de largura, envergadura de asa de 88,4 metros e com capacidade de aguentar até 640 toneladas, ela pode engolir um 737. Quando estreou em 1988, a An-225 era 50% maior do que qualquer avião existente. Continua sendo a maior aeronave operacional em termos de largura e envergadura de asa hoje.



Projetada no fim da Guerra Fria, a An-225 foi construída para substituir a Myasishchev VM-T para carregar a nave espacial Buran da União Soviética entre lugares de lançamento e pouso. A An-225 é baseada na antiga An-124 “Ruslan”, mas inclui motores turbofan adicionais, um piso reforçado e um trem de pouso mais forte com 32 rodas a mais do que seu antecessor. Ao todo, a An-225 usa seis turbofans Progress D-18, cada um produzindo 229kN de propulsão para transportar grandes quantidades de carga. Esta aeronave enorme tem o recorde mundial de transporte aéreo de um único item – uma gerador de energia a gás com 189.980kg – e um peso total de 253.820kg.

A An-225 carrega e descarrega através da parte da frente – a rampa traseira e porta de carga foram removidas para economizar peso – e ela realmente se ajoelha para as coisas entrarem, permitindo entregas sendo feitas diretamente para o compartimento de cargas e facilitando o posicionamento da carga. A Mriya também é diferente da antiga Ruslan na montagem da traseira. Ela usa uma cauda dupla – em vez de apenas uma – que permite carregar itens externos com até 200.000kg.

A primeira, e única, An-225 completa fez o primeiro voo em dezembro de 1988. Uma segunda aeronave chegou a estar 65% completa e planos para a construção de outras foram abandonados quando a União Soviética entrou em colapso em 1991. O programa espacial Buran foi cancelado, assim como os contratos com a Antonov, e então a única An-225 e a outra que estava pela metade foram desativadas em 1994. Depois de sete anos em segredo, a An-225 completa foi retirada de onde estava guardada e remodelada para uso comercial transportando cargas superdimensionadas em longas distâncias.

Muito se discute em relação a completar ou não a segunda Mriya, mas por enquanto ela continua guardada até a Antonov conseguir os US$ 300 milhões para finalizar o projeto. Mas considerando que a empresa acabou de reiniciar a produção da An-124, não é difícil imaginar que um dia a An-225 voltará a ser produzida.

[The Aviationist – FAI – Wikipedia – Airliners – Sometimes Interesting – Image: Ralf Manteufel/ Airliners]