Caramba! Teclados! Assunto empolgante! Como é que é? Você não acha? Você acha tedioso? Pense bem, amigo: o conceito de um teclado único que funcione muito bem, sem fios, com todos os seus computadores, tablets e até mesmo os seus telefones é algo bem interessante.

O teclado Bluetooth é o filtro de café da sua vida digital – frequentemente desvalorizado, mas pode melhorar muito a sua vida. Ou piorar.

Nós decidimos analisar apenas teclados completos, e os testamos em vários aparelhos: um computador com OSX, outro com Windows, um tablet Android e um iPhone. Levamos em consideração design, facilidade de uso, portabilidade, compatibilidade e recursos. Além de coisas um pouco mais subjetivas, como conforto e prazer de usar. O resultado você confere a partir de agora.

4º Lugar: Matias Wireless Folding Keyboard

Compatibilidade: OSX, Windows, Android, iOS • Bluetooth: Sim • Recarregável: Não • Peso: 435g • Preço: US$ 100 • Nota Giz: 2,5

Todo mundo gosta de torcer para a zebra, e quem aqui já ouviu falar dessa marca Matias, certo? Mas aqui não dá. Este teclado é o menor que testamos, nos dois sentidos. É o mais fácil para carregar por aí, sem dúvida. É impressionante como a Matias conseguiu fazer um teclado grande como este se dobrar em uma unidade tão pequena. E ele funcionou legal com todos os aparelhos testados, apesar de só prometer compatibilidade com OSX e iOS. Mas os elogios param por aí.

As teclas são duras demais. Se você estiver digitando rápido, com certeza vai comer letras sem perceber, e isso é o suficiente para tornar frustrante a escrita de um mísero email de duas frases. A orientação também parece meio estranha – graças à posição da dobra, sempre parece que você está digitando muito para o lado. Também nos preocupamos com o design e a qualidade da construção. Além das teclas serem elevadas demais (o que é estranho considerando que elas afundam pouco), há um grande vão entre elas. O tipo de vão que se enche automaticamente com pelos, sujeira e farelos e que é um saco de limpar. Quando você dobra o teclado, as teclas se esfregam de uma maneira preocupante. E se você não lembrar de desligá-lo antes de dobrar, adeus bateria.

3º Lugar: Apple Wireless Keyboard

Compatibilidade: OSX, Windows, Android, iOS • Bluetooth: Sim • Recarregável: Não • Peso: 410g • Preço: US$ 70 • Nota Giz: 2,5

Isso precisa ser dito: bonito, ele é. Segue à risca a cartilha da Apple, que dita o minimalismo e a elegância ao mesmo tempo que evoca resistência com a construção de alumínio. Ele funciona bem com todos os sistemas testados (mas, obviamente, se entende melhor com o Mac). Mas infelizmente essa coisa é mais forma do que função.

Apesar da teclas serem fáceis de pressionar, elas são duras. Também são baixinhas e sensíveis, o que leva a teclas pressionadas por acidente, e completamente planas, o que não ajuda o tato a se encontrar. Além disso ele é muito pequeno, e isso faz com que as suas mãos se sintam apertadas. É o oposto de ergonomia. Faz parecer que a pessoa que projetou esse teclado queria se vingar de todas as mãos humanas. Depois de usar isso por duas semanas, eu tive mais dores nos pulsos do que estou acostumado, e não senti falta de nada quando parei de usar. Nada.

2º Lugar: Logitech diNovo Series (Edições Edge e Mac)

Compatibilidade: OSX ou Windows • Bluetooth: Não exatamente • Recarregável: Edge, sim; Mac, não • Peso: Edge, 935g; Mac, 455g • Preço: de US$ 100 a US$ 230 • Nota Giz: 3,5

Nós testamos tanto a Mac Edition quanto a Edge Edition, por motivos que explicarei em um momento. Estes teclados são maravilhosos. Eles têm muito da beleza forte do Apple Wireless, mas com muito espaço para as mãos. Parece que eles conseguiriam levar um tiro e sobreviver. O apertar das teclas é um prazer inenarrável – a quantidade de resistência é exata, e você consegue voar pelas letras sem errar quase nada. Eu consegui, ao menos. A Mac Edition é toda preparada para o OSX (jura?!), enquanto a Edge tem alguns recursos extras, como um mini trackpad extremamente conveniente. Eles são grandes e meio difíceis de levar por aí, mas o conforto de usá-los compensa, e muito.

Infelizmente, nenhum dos dois brinca amigavelmente com os outro. Eles são como teclados Bluetooth que odeiam Bluetooth. O Mac Edition precisa de um receptor USB ligado no seu computador. Sim, eles se comunicam por Bluetooth, mas não vale se não for com o Bluetooth do computador, certo? Que bobagem! O Edge supostamente deveria conseguir se conectar sem o receptor, mas apresentou muitos problemas, de modo que o julgamos incompatível com o OSX. Não tem erro: estes teclados são fantásticos, mas eles não levam o ouro sem a capacidade de serem usados com um tablet ou smartphone. Sem contar que são caros.

PRIMEIRÃO: Microsoft Bluetooth Mobile Keyboard 6000

Compatibilidade: OSX, Windows, Android, iOS • Bluetooth: Sim • Recarregável: Não • Peso: 415g • Preço: US$ 90 • Nota Giz: 4

Este aqui acertou em cheio. Primeiro porque ele é compatível com qualquer coisa que ver pela frente. As teclas têm um clique ótimo. São um pouco mais rígidas que as do Logitech, mas não são muito mais difíceis de pressionar. Ele é ligeiramente curvado, melhorando a ergonomia, mas não a ponto de alienar as pessoas que estão acostumadas com teclados retos. O 6000 é leve e compacto, o que faz com que seja bom para atirar na mochila e sair por aí. O teclado numérico é separado. Ótimo: ele nem sempre é necessário e você nem sempre vai querer carregar o peso extra.

Mas nem tudo é perfeito. O plástico das costas parece um pouco frágil, e as juntas não parecem tão corretas. Em outras palavras, a construção é meio tosca. O Backspace também está enfiado lá no canto. Você vai errar muito até se acostumar com a sua posição. Também fazem falta uns pés dobráveis para dar um pouco de ângulo. Fora isso, o teclado é confortável e funciona o bastante para ser o seu principal, funciona com tudo e é de fácil transporte. Win.