Se você acha que estas imagens do Polo Norte lembram mais um lago do que uma vastidão coberta de neve, é porque é exatamente isso – o Polo Norte derreteu.

Não é, no entanto, tão dramático quanto parece. O mês de abril viu a nona cobertura de neve mais pesada registrada no Ártico, cobrindo o Polo em mais material branco do que vimos em muito tempo. Mas, a partir de maio, as temperaturas aumentaram e quase metade da cobertura derreteu.

Ao longo deste mês de julho as temperaturas estão estranhamente altas – de 1 a 3°C mais altas do que o normal em 13 de julho, por exemplo – e o resultado tem sido um degelo súbito da cobertura de neve que restou. Estas imagens, do Observatório Ambiental do Polo Norte, mostram o degelo em progresso entre 30 de junho e 25 de julho.

É importante dizer que não é a primeira vez que há um lago de neve derretida no Polo Norte, e este também não é o pior da história (também vale lembrar que isso é apenas no polo, não na calota de gelo inteira). E certamente não deveríamos tirar conclusões de mudanças climáticas do que é apenas um ponto de dados. Mas ao menos isso deveria fazer com que pensássemos no que estamos fazendo com o planeta. [444 via Cink]