Tudo o que se sabe dos 3 OVNIs derrubados por EUA e Canadá

Derrubada de OVNIs ocorre uma semana após incidente com balão chinês. China e EUA trocam acusações e aprofunda crise diplomática. Acompanhe as novidades
Tudo o que se sabe dos 3 OVNIs derrubados por EUA e Canadá
Imagem: Wikimedia Commons/Reprodução

O exército dos Estados Unidos derrubou no último domingo (12) um novo OVNI (Objeto Voador Não Identificado) que estava sobrevoando o país. Este é o terceiro objeto abatido por caças norte-americanos nos últimos três dias.

O primeiro deles foi detectado na sexta-feira (10) sobrevoando o estado norte-americano do Alasca. Segundo o piloto militar que o derrubou, ele estava a 12 mil metros de altitude, tinha aproximadamente o tamanho de um carro pequeno, não era tripulado e nem capacidade para manobrar.

No dia seguinte, o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, ordenou a derrubada de um objeto avistado sobre Yukon, no noroeste do país. Ele tinha formato cilíndrico, estava a cerca de 12 mil metros de altitude e representava um risco para o tráfego aéreo civil. Autoridades afirmaram que o objeto foi abatido por um caça dos EUA, e que as forças canadenses pretendem recuperar os destroços.

Já o OVNI do domingo foi visto sobre o estado de Michigan, também próximo à fronteira com o Canadá. Antes da derrubada, o espaço aéreo local foi fechado temporariamente por motivos de “defesa nacional”. Apesar de detalhes ainda não terem sido revelados, foi sugerido que ele era um balão e que não representava uma ameaça militar.

Até o momento, a natureza e procedência dos três OVNIs abatidos ainda não foram identificadas. Também não foram divulgadas imagens dos objetos ou da derrubada dos mesmos.

A expectativa é que mais informações sejam reveladas quando os destroços forem localizados e analisados.

Guerra de OVNIs

O incidente com os três OVNIs ocorreu cerca de uma semana depois da derrubada de um balão chinês que sobrevoava o território dos EUA. A China reconheceu a propriedade do balão, mas afirma que o equipamento era civil, sendo usado para pesquisas meteorológicas. Já o Departamento de Defesa dos Estados Unidos ressalta a tese de que o dispositivo era espião, sendo projetado para coletar informações militares sensíveis.

Por enquanto, ainda não há indicações de que os três OVNIs abatidos no último fim de semana tenham alguma conexão com um programa de vigilância chinês. Porém, o incidente aprofunda a crise diplomática entre China e Estados Unidos.

Nesta segunda-feira (13), o governo da China acusou os Estados Unidos de lançar balões de alta atitude em seu espaço aéreo em pelo menos dez ocasiões no último ano. Segundo o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, é “comum que os balões dos EUA entrem ilegalmente no espaço aéreo de outros países”.

Por sua vez, a Casa Branca negou a acusação de Pequim e a descreveu como uma tentativa de “controle de danos”. “É a China que tem um programa de balão de vigilância de alta altitude para coleta de inteligência, que usou para violar a soberania dos EUA e de mais de 40 países nos 5 continentes”, escreveu no Twitter a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Adrienne Watson.

Vale lembrar que uma variedade de empresas, organizações e países lançam balões de grande altitude para fazer pesquisas científicas legítimas. Porém, como eles não têm poder de manobrabilidade, eles podem acabar saindo de suas rotas e sobrevoar bases militares e outros locais sensíveis, bem como se tornar um perigo para a aviação civil.

Hemerson Brandão

Hemerson Brandão

Hemerson é jornalista, escreve sobre espaço, tecnologia e, às vezes, sobre outros temas da cultura nerd. Ele também é grande entusiasta de astronomia, interessado em exploração espacial e fã de Star Trek.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas