Enquanto a maioria das pessoas quer que seus dispositivos simplesmente funcionem, alguns gostam de brincar com ferramentas mais avançadas. Até então, os tablets vêm sendo bastante explorados por desenvolvedores e entusiastas, mas ainda não havia um tablet com um sistema tão open-source e fácil de se alterar desde o primeiro uso. O tablet Spark resolve isto.

O Android precisa de root e o Maemo não é open-source, mas o tablet Spark aparentemente roda Mer – um fork do MeeGo desenvolvido pela comunidade, baseado em Linux. Por cima dele, temos a interface KDE Plasma Active, que você confere no vídeo abaixo.

O Spark sabe que não é concorrente para iPads ou Kindle Fires: ele é voltado para “aqueles que amam escrever ótimos programas… usando ferramentas típicas do Linux”. E o que ele tem? Processador ARM de 1GHz da AMLogic, 512MB de RAM, 4GB de armazenamento interno mais entrada para cartão SD, tela multitoque de 7 polegadas e Wi-Fi. Ele deve custar US$260 quando for lançado – mas ainda não há data para isto. [aseigo via Ars Technica]