A cantora e compositora carioca Elza Soares morreu aos 91 anos nesta quinta-feira (20). Segundo comunicado da assessoria, a morte aconteceu às 15h45, por causas naturais. Elza estava em sua casa no Rio de Janeiro. 

“Ícone da música brasileira, considerada uma das maiores artistas do mundo, a cantora eleita como a Voz do Milênio teve uma vida apoteótica, intensa, que emocionou o mundo com sua voz, sua força e sua determinação. A amada e eterna Elza descansou, mas estará para sempre na história da música e em nossos corações e dos milhares fãs por todo mundo. Feita a vontade de Elza Soares, ela cantou até o fim”, finaliza a nota.

Uma coincidência tomou as redes sociais após o anúncio: a morte de Elza Soares aconteceu no mesmo dia da de Garrincha. A cantora manteve com ele um relacionamento por 17 anos — e, em algumas entrevistas, declarou que o considerava “seu maior amor”. O craque do Botafogo também morreu no dia 20 de janeiro, mas 39 anos antes: em 1983.

Os dois tiveram um filho em 9 de julho de 1976: Manoel Francisco dos Santos Júnior, o Garrinchinha. Aos 9 anos, a criança morreu em um acidente de carro.

A carreira de Elza Soares

Elza Gomes da Conceição nasceu em 23 de junho de 1930, e cresceu na comunidade do bairro de Padre Miguel, zona oeste carioca. Iniciou sua carreira cantando nas rádios aos 20 anos.

No final da década de 1950, Elza já havia se tornado uma cantora conhecida no Brasil, com sua característica voz rouca e potente. Foram, ao todo, 34 discos lançados, com um estilo próprio que tinha raízes no samba, mas que se aproximou também do jazz e, mais recentemente, de ritmos como funk e hip hop.

Suas letras são inspiradas por temas sociais, como luta contra o preconceito racial, feminismo e igualdade de gênero — que ganharam corpo especialmente nos últimos anos de carreira. Em em 2015, Elza lançou “Mulher do Fim do Mundo” e, em 2018, “Deus É Mulher”. O álbum mais recente é de 2021: “Elza Soares e João de Aquino” reúne parcerias musicais inéditas da cantora com o violonista gravadas nos anos 1990.

Onde conhecer sua obra

Entre discos solo de estúdio, gravações ao vivo e parcerias com outros artistas, o Spotify tem 46 álbuns creditados a Elza Soares em sua biblioteca. Você pode conferir o acervo clicando neste link. Singles lançados em 2021, como “Nós”, “Meu bairro, minha língua” e “Black Power” também estão disponíveis.

Em 2020, o Spotify lançou playlist exclusivas que mostram diferentes momentos da cantora. “Elza Soares Amor” traz a fase romântica e “Elza Soares Protesto”, as composições com inspirações em causas sociais.

Para quem quiser ter um resumo mais completo de uma vez só, uma boa opção é a playlist “This Is Elza Soares”, que reúne músicas desde a década de 1960.

Outra sugestão para conhecer mais sobre o legado de Elza é o documentário “My Name is Now, Elza Soares”. O filme faz um recorte da vida pessoal e profissional da compositora e empresária, eleita pela BBC como “a voz do milênio”. Está disponível em diferentes plataformas de streaming, como Amazon Prime Video, iTunes, Microsoft Play e Vivo Play