O Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) foi aprovado em julho deste ano e, segundo o Ministério das Comunicações, teve início oficial em 1° de outubro. Todas as operadoras – Oi, TIM, Claro e Vivo/Telefônica – dizem já oferecer o novo plano. Mas onde ele está disponível, e como adquiri-lo?

Antes de tudo, o PNBL ainda fez pouco. Como diz o Estadão, “a internet rápida popular por enquanto só existe nas cidades que já contavam com rede instalada”. Os municípios que esperavam a expansão da rede continuam esperando: é que o governo prometeu desoneração fiscal, mas a proposta ainda não foi aprovada. Só a Telebrás ampliou a rede antes dos benefícios, e vai oferecê-la a pequenos provedores locais que queiram vender planos do PNBL.

Sim, agora temos planos menos caros, de R$29,90 a R$35. Só que, como aponta a Proteste, esses ainda são “valores mais elevados que outros pacotes… em que a velocidade é maior e com acesso ilimitado”. (Só de curiosidade, na Índia o acesso ilimitado à internet custa R$3,70.) O Proteste quer anular o acordo entre governo e operadoras que criou o PNBL, alegando que os consumidores estão sendo prejudicados.

Ou seja, mesmo com todas as restrições – cota baixa de download, venda casada com assinatura de telefone – uma banda larga popular de verdade ainda não chegou. O que já está disponível segue abaixo, com as respectivas restrições.

Os planos

Para as operadoras móveis, o plano de banda larga popular é apenas mais um – tanto que não há destaque no site delas. Na Vivo, o plano popular é simplesmente o plano de 150MB por R$29,90. A TIM oferece o Liberty Web Light a R$35, com minimodem a R$108 e cota de 500MB. Na Oi, você tem 150MB por R$29,90 ao mês, com minimodem a R$149. E na Claro, o plano de 100MB – que oferece 200MB de cota por um ano – é a opção popular, saindo a R$29,90 (minimodem por R$69).

Os planos nas operadoras móveis estão disponíveis no país inteiro, na rede 3G de cada operadora. Isto significa: 1.500 municípios para a Vivo; 700 cidades para a Claro; e 300 cidades cada para TIM e Oi. Você adquire os planos como qualquer outro (em lojas ou por telefone).

Na banda larga fixa, a situação muda: o serviço fica restrito a apenas certos municípios. Para o Oi Velox, você verifica neste link (ou neste link) se sua cidade já tem o serviço e liga para 0800-031-0001 para contratar. Por R$35, você tem 1Mbps para download e franquia de dados de 500MB – que, ultrapassada, reduz a velocidade para 128Kbps.

A Telefônica tem dois planos de banda larga popular: um em convênio com o Estado de São Paulo, de 256 Kbps por R$29,80, e o plano do PNBL, de 1Mbps por R$29,90 – tome cuidado para pedir o plano certo. A Telefônica diz que “promocionalmente não haverá limitação de download”, ou seja, nada de cota por enquanto. Só que eles exigem um plano casado de linha fixa – no total, você paga de R$57,30 a R$65 por mês. O plano está disponível inicialmente nas 229 cidades desta lista, e você contrata ligando para 103 15. Para CTBC e Sercomtel, este link deve lhe ajudar. [Estadão]