O Opera Max foi lançado para Android há um ano, com o objetivo de reduzir o consumo de dados em seu smartphone: ele comprime texto, imagens e vídeos enquanto você navega na web ou usa diferentes apps.

Esta semana, ele recebeu uma atualização para comprimir dados do Netflix e do YouTube, e promete uma economia de até 50% sem perda significativa de qualidade.

Isso pode ser útil caso você esteja no 3G, ou mesmo em uma conexão Wi-Fi lenta – um hotspot público, por exemplo. A Opera diz que consegue reduzir um vídeo de 10 MB para até 3 MB.

Opera Max - ativando

YouTube e Netflix

Testei o Opera Max em um Nexus 4, usando o 3G da Vivo, com este vídeo do YouTube em resolução 480p. A qualidade de imagem é bem semelhante com a compressão. Foram gastos 6,7 MB; o Opera Max estima que eu economizei 8 MB no processo.

Opera Max - teste YouTube 2

Experimentei abrir o mesmo vídeo com o Opera Max desativado, e o YouTube gastou 18,2 MB no total. Será que o Opera Max estava economizando ainda mais do que o esperado? É possível! A empresa diz em FAQ que não pode prever a economia de dados com precisão no caso do YouTube e Netflix: “é apenas uma estimativa que pode diferir da economia real”.

Enquanto isso, no Netflix, é possível notar a queda na qualidade da imagem (não dá para mostrar isso aqui pois o app não permite tirar screenshot dos vídeos). Com o Opera Max, tudo fica mais embaçado e menos definido.

Netflix e Opera Max - carregando

E há outro problema: o vídeo demora muito para começar a tocar. Um episódio de House of Cards levou 70 segundos para fazer buffer; sem o Opera Max (e após limpar o cache do Netflix), isso gira entre 30 e 60 segundos.

Enquanto isso, um episódio de Friends leva entre 15 e 30 segundos para carregar; com o Opera Max desligado e cache limpo, são menos de 10 segundos.

A vantagem aqui é mesmo a economia de dados: foram 17,3 MB gastos, e cerca de 20 MB economizados. Após desativar o Opera Max, eu gastei 45 MB usando o Netflix de forma semelhante.

Como funciona?

O Opera Max estabelece uma conexão VPN com os servidores da Opera, por onde passam dados que não sejam criptografados. Quando seu smartphone pede para abrir uma página da web, ela passa pelos servidores, é comprimida e só então é enviada para você. Dessa forma, apps como Flipboard, Instagram e Vine usam menos dados.

A Opera diz na política de privacidade que os servidores guardam um log com os endereços visitados, endereços IP, seu modelo de dispositivo e um identificador aleatório, mas garante que “não é capaz de conectar os dados de uso a um indivíduo específico”.

Além disso, normalmente o Opera Max não compacta dados criptografados, que passam por conexões HTTPS. Ou seja, não há economia de dados no Facebook, em apps de e-mail, ou no app do seu banco, nem mesmo em atualizações da Play Store.

Essa é uma grande limitação! Por isso, a Opera abriu duas exceções: Netflix e YouTube. O tráfego de ambos os apps é criptografado, mas pode passar pelos servidores da Opera e ser comprimido.

O Opera Max consegue comprimir vídeos públicos do Netflix e do YouTube. E se o vídeo for privado? Eu fiz o teste: abri um vídeo oculto na minha conta do YouTube, e ele tocou sem problemas – só que o Opera Max não economizou dados.

Opera Max e video privado

É um sinal de que vídeos privados não passam pelos servidores da Opera – assim como outros dados criptografados.

A Opera diz em comunicado: “estamos trabalhando duro para adicionar suporte a ainda mais serviços de vídeo com HTTPS nos próximos meses”. Segundo a Cisco, vídeos correspondem a mais de 50% do tráfego mobile global.

O Opera Max está disponível no Google Play.

[Opera via TechCrunch]