Larga esse e-charuto, Mark! A FDA (Food and Drug Association — órgão americano regulador de alimentação e saúde) relatou que os cigarros e charutos eletrônicos contém cancerígenos conhecidos e os acusou de serem propagandeados a pessoas mais jovens.

Nós demos uma olhada no que está dentro dos e-charutos e nosso amigo Mark Wilson até experimentou um, mas qual é a lógica de usar um gadget de US$ 200 que é tão (ou mais!) prejudicial à saúde que o charuto real?

O Centro de Avaliação de Drogas da FDA, Divisão de Análise Farmacêutica, veio a nós com as seguintes conclusões como resultado de uma análise dos aparelhos de e-fumo disponíveis no mercado:

– Dietileno Glicol foi detectado em um maço a uma concentração de aproximadamente 1%. O Dietileno Glicol, um ingrediente usado em anticongelantes, é tóxico aos humanos.
– Certas nitrosaminas específicas de tabaco, que são cangerígenas para humanos, foram detectadas em metade das amostras analisadas.
– Impurezas específicas do tabaco, suspeitas de serem prejudiciais aos humanos, foram detectadas na maioria das amostras analisadas.
– Exceto por um, todos os maços de cigarros eletrônicos que diziam não ter nicotina continham a substância em baixos nívels.
– Três diferentes maços de cigarros eletrônicos com embalagens iguais foram testados e cada maço emitiu uma quantidade claramente diferente de nicotina a cada baforada. Os níveis de nicotina por baforada variaram de 26,8 a 43,2 mcg de nicotina/100mL de baforada.
– Um maço de alta nicotina emitiu duas vezes mais nicotina quando o vapor daquela marca de cigarro eletrônico era inalada do que a quantidade emitida por uma amostra do produto de inalação de nicotina, aprovado pela FDA, usado como controle e auxílio a quem quer parar de fumar.

Recapitulando: o aparelho que deveria te ajudar a ter mais saúde, economizar dinheiro e parar de fumar tem mais probabilidade de piorar o seu vício, ser mais prejudicial à sua saúde e ser um disperdício de dinheiro ainda maior. [FDA via Instead]