O Twitter quer se tornar uma plataforma em que artistas, músicos e influenciadores possam construir sua base de fãs — e ganhar dinheiro com isso. “Transformar seguidores em fãs. E fãs em apoio financeiro”, resumiu a rede social enquanto falava sobre as novidades para monetização de audiência no evento desta quinta-feira (23).

A principal mudança envolve o sistema de Bonificações, que o Twitter estreou a partir desta quinta (23) no mundo inteiro. Basicamente, o que a ferramenta faz é facilitar o envio de dinheiro para seu arroba de preferência: basta apertar um botão, que fica disponível na página de perfil do usuário, para ser direcionado para um app de transferência externo, e então escolher a quantia desejada.

A funcionalidade vem sendo testada desde maio deste ano com um grupo de contas dos Estados Unidos. Por lá, será possível acessar links que levam a apps como PayPal, ou plataformas de financiamento como o GoFundMe, Patreon e Bandcamp. No Brasil, as transferências acontecerão via PicPay. O recurso chega primeiro para iOS, e deve estar disponível para usuários do Android nas próximas semanas.

Algo que chamou a atenção é a possibilidade de fazer transferências usando criptomoedas. Para isso, basta sincronizar a carteira digital Strike. O recurso, no entanto, ainda não está disponível para o Brasil.

O Twitter garante que 100% da doação vai para o bolso do criador de conteúdo de preferência — afinal, o recurso usa um facilitador de pagamentos externo. Segundo a rede social, uma notificação é enviada para o destinatário quando o dinheiro pinga na conta, e ele poderá reagir à doação com um tweet de agradecimento, por exemplo.

Outros recursos

Além das gorjetas, o Twitter vem trabalhando em mais recursos para facilitar a vida dos criadores de conteúdo — e dos fãs que querem das um incentivo monetário para suas arrobas favoritas. Um deles é o “Super Follows”, que vem sendo testado com um pequeno grupo de criadores nos EUA que utilizam o aplicativo do Twitter para iOS.

Por enquanto, usuários de iOS nos Estados Unidos e Canadá podem assinar o “Super Follows” destes criadores iniciais. De acordo com o Twitter, a tecnologia deve chegar “muito em breve” a mais países.

A novidade é que vai ser possível, agora, criar também um serviço de assinatura mensal para que os criadores cobrem pelo acesso a conteúdos extras, como bastidores e conversas.

A função “Spaces” também está de cara nova. A ferramenta, que serve para que usuários criem salas de conversa por áudio ao vivo, estreou em maio deste ano. Ingressos para dar aos anfitriões a opção de estabelecer valores e tamanho de audiência e a possibilidade de serem recompensados pelas experiências que criam.

Assine a newsletter do Gizmodo


A partir do próximo mês, vai ser possível salvar trechos favoritos do papo para reproduzi-los em um outro momento. Ou seja, quem não acompanhou a conversa ao vivo poderá ficar por dentro do que rolou depois que eles acontecerem — no melhor estilo canal de cortes, que vários podcasts veiculam no YouTube.