Acima, está parte de um panorama infravermelho da Via Láctea. Com 20 gigapixels, ele é o mais nítido que a humanidade já viu – e você pode explorá-lo aqui.

Revelado na Conferência TEDActive 2014, em Vancouver (Canadá), o panorama da nossa galáxia é feito a partir de mais de 2 milhões de imagens tiradas pelo Telescópio Espacial Spitzer, da NASA, ao longo dos últimos dez anos.



São imagens infravermelho, que conseguem atravessar as nuvens de poeira na galáxia e mostrar o que se esconde além do centro da Via Láctea. Com isso, o Spitzer ajuda a determinar onde estão os limites da nossa galáxia, e permite aos cientistas criar um modelo teórico mais preciso sobre a formação de estrelas.

infrared panorama

O panorama é grande. Muito grande. Robert Hurt, especialista em imagem no Centro Spitzer de Ciência Espacial da NASA, explica isso:

“Se nós fôssemos imprimir esta imagem, precisaríamos de um outdoor tão grande quanto o estádio Rose Bowl [com 7.354 m²] para exibi-lo. Ao invés disso, criamos um visualizador digital que qualquer um, até mesmo um astrônomo, pode usar.”

O mosaico usa a plataforma Microsoft WorldWide Telescope, mas não requer plugins para visualizá-lo. Você pode navegar pelo panorama neste link. Consegui usá-lo sem problemas usando Chrome ou Internet Explorer, mas ele ficou um pouco lento no Firefox.

Também há o visualizador Aladin (acima), que permite ir direto a certas nebulosas ou ao centro da galáxia. Você pode acessá-lo neste link. Eu não tive problemas ao navegar usando Firefox ou Internet Explorer, mas por algum motivo a imagem ficou “pulando” no Chrome.

Saiba mais aqui: [NASA]