Paris quer diminuir a emissão de poluentes causada pelos carros, e, para isso, sua mais nova empreitada é uma frota de bicicletas elétricas. Mas não qualquer frota, e, sim, potencialmente, a maior do mundo: o novo plano colocará dez mil bikes nas ruas, disponíveis para aluguel mensal — e o número poderia subir para 20 mil.

O esquema de aluguel de bicicletas se chama Véligo e será administrado por um consórcio público que inclui o serviço postal francês (La Poste) e a Île-de-France Mobilités (IDFM), o sindicato de transportes da Ilha de França, região administrativa onde está localizada a cidade de Paris. O programa deverá ser lançado em setembro de 2019.

O Véligo vem como um complemento ao atual programa de compartilhamento de bikes de Paris, o Vélib’, em que os usuários pagam aluguéis por hora ou pacotes diários e até semanais e contam com estações para deixar as bicicletas. As bikes do Véligo serão alugadas mensalmente, com valor de € 40 por mês, e os usuários poderão levá-las para casa. No entanto, como aponta o Engadget, a exemplo do que acontece com os gastos com bilhetes de metrô na região da capital da França, os empregadores poderão bancar metade dos custos, o que deixaria a conta em € 20 por mês para os usuários.

Protótipo da nova bike elétrica do Véligo (Imagem: Île-de-France Mobilités)

As bicicletas elétricas do Véligo rodam cerca de nove quilômetros por carga, e Valérie Pécresse, presidente do conselho regional da Ilha de França, espera que o sistema vá “ajudar 200 mil parisienses a descobrirem a bicicleta elétrica e talvez inspirá-los a comprar uma própria”.

O Véligo terá inicialmente duração de seis anos, com um orçamento de € 111 milhões, dependendo do número de bicicletas. Uma “boa bicicleta elétrica”, segundo a Reuters, custa entre € 1.500 e € 2.000, e cerca de 250 mil bicicletas do tipo foram vendidas na França em 2017, em comparação com 2,7 milhões de bicicletas comuns, o que mostra o interesse dos franceses em uma opção ecológica.

[Reuters, Engadget]