Um parque temático francês começou a usar seis pássaros treinados pertencentes à família dos corvos para coletar lixo e bitucas de cigarro, segundo a BBC.

O Puy du Fou é um parque temático histórico da cidade de Les Epesses, na França, que recebe por volta de dois milhões de visitantes por ano. Lá, eles podem saber mais sobre a Revolução Francesa, os vikings, a Idade Média e outras eras, eventos e pessoas do passado. A arquitetura real e em réplica do local permite às pessoas vivenciar tempos mais simples, com guilhotinas e pragas.

• A criatura mais rápida do mundo não é a que você está pensando
• Este pássaro australiano sabe que tem perigo por perto só de ouvir seus amigos

E agora, para manter a área limpa, o parque quer testar uma opção de baixa tecnologia para limpar o lixo: a gralha calva, uma ave da família dos corvos intimamente relacionada com a gralha-preta. Nesse novo sistema, quando as seis gralhas-calvas levam lixo até uma caixa especial, o dispositivo distribui comida para aves.

“O objetivo não é só limpar, porque os visitantes são, normalmente, cuidadosos em manter as coisas limpas”, disse Nicolas de Villiers, presidente do parque Puy du Fou, em entrevista à agência de notícias AFP. Em vez disso, ele sugere, isso vai mostrar que a “natureza, ela própria, pode nos ensinar a tomar conta do meio-ambiente”.

No ano passado, a startup holandesa Crowded City anunciou um plano para o desenvolvimento de um sistema parecido, chamado Crowbar, uma criação que supostamente treinaria corvos para coletar bitucas de cigarro. Ele era baseado em um processo popularizado por Joshua Klein, que palestrou em um TED Talk em 2008 sobre sua “máquina de vendas para corvos” experimental, que trocava lixo ou dinheiro por comida.

Slate questionou um pesquisador de corvos sobre o conceito no ano passado. “A premissa inteira é falsa”, disse Kevin McGowan, especialista em corvos do Laboratório Cornell de Ornitologia. “Minha colaboradora aqui, que trabalha comigo em Ithaca, trabalhou com Klein por duas semanas, com a família de corvos mais amigável que existia na Terra. Eles mal pegavam a comida da caixa. Simplesmente não funciona… Basicamente, para mim, é o mesmo que dizer que seria uma boa ideia enxertar asas em cães pastores para que eles possam pastorear melhor as ovelhas.”

O Puy du Fou é provavelmente a primeira empresa a testar o método em grande escala. Então, em breve veremos se isso realmente funciona. Esperamos que os pássaros não sejam prejudicados com todo o contato com tabaco e nicotina.

[BBC, Agence France Presse]

Imagem do topo: hedera.baltica (Flickr)