Mesmo quando queremos descobrir os maiores segredos do universo, precisamos deixar a segurança em primeiro lugar. Por isso os pesquisadores da Universidade de Stanford colocaram um pequeno par de óculos de segurança impressos em 3D antes de ensinar um papagaio a voar através de lasers.

• Capacete para falcão mostra como é voar e caçar como uma ave de rapina
• Este pequeno pássaro consegue voar por quase um ano inteiro sem parar

passaro-voando

“Nunca devemos andar através de um laser sem nenhuma proteção”, disse o professor David Lentink, cujo laboratório estuda voo biológico. “Então tivemos que pensar numa forma de proteger nosso pássaro”.

Ao bater as asas numa névoa iluminada por lasers, o papagaio chamado Obi ajudou o grupo de estudo de Lentink a comparar três modelos de voos de animais. No entanto, depois de usar uma câmera de alta velocidade para fotografar os padrões deixados por Obi, a equipe descobriu que os três modelos eram inadequados.

passaro-oculos

De acordo com Lentink, o voo no mundo real é bem mais complexo e turbulento do que os modelos matemáticos sugerem.

“Muitas pessoas procuram os resultados de estudos sobre voos de aves para entender melhor como asas robóticas podem ser projetadas”, disse Lentink. “Agora, nós mostramos que as equações que eles estavam usando não são tão confiável quanto a comunidade esperava que fosse”.

Um dia, o time de pesquisa de Stanford pode ajudar engenheiros a projetar robôs voadores. E se eles tiverem bastante sorte, as máquinas serão tão fofas quanto o papagaio de óculos.

[Science News]

Imagens: YouTube/Stanford.