Há pouco mais de um ano, o ThinkGeek foi particularmente feliz em uma de suas tradicionais pegadinhas de primeiro de abril, anunciando um gabinete que transformaria o então recém-lançado iPad em um mini fliperama. Demorou mais do que o iPad 2, mas o produto acabou sendo finalmente lançado, e parece ser muito bom.

Em um review, o Ars Technica elogia o visual e qualidade do hardware (quem joga em arcades geralmente gosta de ser bem agressivo com os botões), assim como a capacidade que o iCade tem de chamar atenção e provocar algum comentário de qualquer um que o veja. As únicas questões são o fato de que é necessário montá-lo com uma chave Allen não inclusa e que os jogos são vendidos separadamente, através do app Atari’s Greatest Hits, que é gratuito, mas vende os jogos como compras in-app. A coleção completa, com 99 clássicos, custa US$ 15 – o que pode não parecer muito até você considerar que acabou de gastar US$ 100 no iCade em si.

Por enquanto, o Atari’s Greatest Hits é o único app que reconhece os comandos físicos do iCade, mas o SDK já foi lançado, e supostamente há diversas empresas trabalhando em jogos que sejam compatíveis.

http://www.youtube.com/watch?v=oCKFjkDY098

Se toda essa brincadeira lhe parece muito cara ou exagerada, porém, há outra solução para brincar com controles físicos no iPad. O joystick Fling (abaixo) é um dos acessórios de funcionamento mais básico que eu já vi: com duas pequenas ventosas, você o fixa no canto da tela do iPad, por cima dos joystick virtual que jogos como Minigore HD, Death Rally e Street Fighter 4 costumam oferecer como único modo de controle. Assim, você passa a ter o feedback tátil de uma alavanca analógica semelhante à de um controle de videogame caseiro. Ele custa US$ 20 – ou US$ 30 se você quiser um pacote com duas unidades. [ThinkGeek, Ars Technica, BR-Mac]