Uma equipe de pesquisadores franceses descobriu que o pouco compreendido peixe celacanto pode viver por um século. Não apenas isso, mas toda a vida do peixe parece estar esticada, já que ele passa anos no útero e não amadurece totalmente até os 45 anos de idade.

Algumas estimativas anteriores tinham o celacanto classificado como um peixe de crescimento rápido, com uma vida útil de cerca de 20 anos. Mas outras observações levantaram suspeitas de que eles vivem muito mais do que isso. Uma nova pesquisa, publicada na Current Biology, estima sua vida útil em 100 anos, com base na inspeção das escamas do animal.

Apesar de toda a sua fama, a história de vida da espécie ainda é um mistério. O peixe era conhecido por fósseis e acreditava-se que ele estava extinto desde o período Cretáceo (cerca de 66 milhões de anos atrás). Mas quando um pescador na África do Sul retirou um espécime novo em 1938, isso causou ondas de choque na comunidade científica. Suas escamas azuis e brancas são impressionantes. E foram elas que ajudaram a equipe de pesquisadores a descobrir a verdadeira longevidade do animal — em um projeto pensado durante a pandemia.

A barbatana de um celacanto do fundo do mar.

As escamas do celacanto crescem em anéis a cada ano de vida do animal. A largura desses anéis significa sua taxa de crescimento. Foi isso que a equipe levou em consideração na análise, feita por um microscópio com luz polarizada. Suas descobertas revelaram que “a longevidade máxima do celacanto era cinco vezes maior do que se pensava anteriormente, portanto, cerca de um século”, disse Kélig Mahé, o principal autor do artigo e pesquisador especializado em datação de escama de peixe no Canal IFREMER e na Unidade de Pesquisa Pesqueira do Mar do Norte em Boulogne-sur-mer, França, em um comunicado à imprensa.

Não foi apenas a expectativa de vida do peixe que veio como uma surpresa. A equipe também descobriu que os bebês celacantos permanecem no útero por cinco anos – muito mais do que a gestação mais longa dos mamíferos (o elefante indiano é o recordista, com cerca de 22 meses). Suas nadadeiras extras são um aceno para sua enigmática história evolutiva e seu parente vivo mais próximo é o peixe pulmonado. Ainda assim, a análise genética revelou sua estreita ligação com os tetrápodes, vertebrados de quatro membros que incluem várias classes, como mamíferos, répteis, pássaros e anfíbios. O fato de que o celacanto pode viver até e talvez além de 100 anos o coloca no escalão superior dos peixes de vida longa.

Assine a newsletter do Gizmodo

Olhando para quase 30 espécimes diferentes, a equipe determinou que os celacantos não atingem a maturidade antes dos 50 anos. Isso foi concluído com base em estudos anteriores que descreveram o comprimento do animal e outras diferenças físicas entre os peixes juvenis e maduros. “Animais que vivem rápido, se reproduzem rápido e morrem jovens, muitas vezes são bons em lidar com as pressões da sobrevivência em um mundo cada vez mais dominado por humanos. Aqueles que vivem lentamente, produzindo poucos filhotes ao longo de uma vida longa – como elefantes ou baleias – correm um grande risco”, disse Callum Roberts, um biólogo marinho conservacionista da Universidade de Exeter que não era afiliado ao estudo recente, em um o email. “De acordo com este novo estudo, o celacanto está à beira da existência e corre um risco excepcionalmente alto de desaparecer para sempre.”