Quando Zac Vawter perdeu a perna direita em um acidente de moto, ele achou que nunca iria andar bem de novo. Agora, com um membro biônico ligado a seu sistema nervoso, ele conseguiu subir 103 lances de escada no concurso anual Skyrise Chicago de escalada em arranha-céus.

A prótese de Vawter custa US$ 8 milhões, pesa 4,5 kg e usa dois motores para mover o joelho e o tornozelo de forma separada.

Surpreendentemente, o membro usa reinervação muscular dirigida (TMR) para conectar os nervos (cortados no acidente de Vawter) a músculos que ainda estão ativos.

Funciona assim: os nervos que normalmente controlariam a parte inferior da perna são reencaminhados para músculos no tendão. Assim, quando Vawter pensa em mover a perna, os músculos do tendão enviam impulsos elétricos, que são convertidos em sinais para controlar o membro biônico.

O resultado? Ele consegue subir 103 andares de escadas, e em um tempo que pernas comuns talvez não fizessem: Vawter terminou a subida em apenas 53 minutos e 9 segundos, segundo a AP, e ele parecia muito relaxado durante a escalada.

Vawter volta para sua cidade natal, mas o membro permanece em Chicago. Os pesquisadores por trás dele, do Instituto de Reabilitação de Chicago, Universidade Vanderbilt e MIT, entre outros, ainda não estão satisfeitos com o membro biônico. Eles esperam melhorar ainda mais o seu desempenho, mas dizem que ainda vai levar anos até que ele chegue ao mercado.

Mesmo assim, é muito impressionante que um membro artificial possa responder a pensamentos humanos – e até nos fazer subir 103 lances de escada. Parabéns, Zac. [AP]

Foto por AP