O YouTube Red é um serviço de assinatura que remove anúncios dos vídeos, permite acesso offline e oferece conteúdo exclusivo. Eu cogitei pegar o cartão de crédito e pagar US$ 10 para assistir a um episódio da primeira série original do YouTube Red: “Scare PewDiePie”.

Ela é estrelada por PewDiePie, um rapaz sueco de 26 anos que se tornou muito rico e famoso por jogar videogames no YouTube. Até hoje, eu nunca tinha visto um vídeo dele. Bem, agora eu assisti “LEVEL 7 | I’M NOT CRAZY (OUTLAST IRL GAMEPLAY)” – único episódio da série que está disponível gratuitamente – e agora me sinto velho.

A premissa do vídeo envolve PewDiePie (nome real Felix Kjellberg) atuando como se estivesse em um videogame, só que ele está em um set com atores cobertos de sangue falso, recitando falas estranhas de um roteiro.

Ele tem uma câmera presa ao peito para captar suas reações enquanto finge realizar tarefas que irão ajudá-lo a sair deste problema totalmente inventado. Previsivelmente, PewDiePie escapa vivo e xinga muito no processo.

Com mais de 42 milhões de assinantes, PewDiePie é a pessoa mais assistida no YouTube. Ele tem seu próprio logotipo, seu próprio app, e seu próprio exército de bros. Mas para mim, com 31 anos de idade, é difícil entender o fenômeno.

Eu entendo que muitas pessoas adoram ver outras jogando videogame – tem gente com habilidades que eu jamais conseguiria alcançar. Mas pagar para assistir a um vídeo de 20 minutos de um cara fingindo medo num experimento em criação de conteúdo?

Acho que a fama de YouTube me deixa receoso porque eu me lembro de um mundo sem fãs de mídias sociais, um mundo em que estávamos um pouco menos centrados em nós mesmos. Nós perdemos isso há anos, e muitas coisas boas aconteceram desde então. O próprio YouTube é algo que adoro que exista. O novo show do PewDiePie? Não muito.

Após ter desperdiçado 20 minutos, agora eu sei mais sobre PewDiePie. Ele é bonito e cheio de energia, e desejo tudo de bom para a carreira dele. Mas eu desisti de assinar o YouTube Red. O serviço dá acesso ao Google Play Música, mas eu prefiro o Spotify. E a versão gratuita do YouTube já é o suficiente para eu me sentir velho e triste. Não preciso gastar dinheiro em mais.