Calma, os piratas da Somália seguem a pilhar navios só no Oceano Índico. Estamos falando do Partido Pirata da Suécia, que vai ocupar uma cadeira no Parlamento Europeu. O partido defende redução dos direitos autorais, abolição do sistema de patentes e reforço ao direito à privacidade.

O partido levou cerca de 7% dos votos no país, mais do que o mínimo pra garantir cadeira no Parlamento Europeu. Christian Engstrom, principal candidato do partido, disse que o PP deve a vitória aos jovens. "Estamos muito fortes entre aqueles que têm menos de 30 anos. São os que compreendem que o novo mundo é o melhor."

O partido foi criado em 2006 pelo empresário do ramo de informática Rickard Falkvinge (procure o nome do cara no Google e você só acha torrent). O PP ficou mais conhecido depois da condenação do portal sueco The Pirate Bay. Sim, aquele julgamento que acompanhamos bastante por aqui e que agora está sendo contestado, depois que foi descoberto que o juiz responsável pela sentença está envolvido com entidades de direitos autorais.

Ah, esses europeus liberais! Não basta legalizarem a maconha e a prostituição: eles querem baixar screeners enquanto fazem nudismo na praia! De qualquer forma, torcemos para que a pirataria e a renovação das leis entre em pauta de verdade nos parlamentos mundo afora. O Brasil, como vocês sabem, está na vanguarda do assunto, já que o Senado faz experimentos de simulação de servidores piratas.