Em Perdido em Marte, Mark Watney diz ser o melhor botânico de Marte – ele está sozinho no planeta vermelho, afinal! O astronauta teve que se virar com recursos escassos, mas como a humanidade poderá criar plantas por lá também? Conversamos com Ray Wheeler, que lidera o sistema de suporte à vida do Centro Espacial Kennedy da NASA, para saber mais.

O que é necessário para criar uma plantação em Marte?

Assim como na Terra, uma plantação marciana depende dos mesmos ingredientes básicos para as plantas crescerem: espaço, água, solo, algum tipo de fertilizante, e muita luz. Infelizmente, nenhuma dessas coisas é facilmente encontrada por lá. Ray Wheeler nos explicou como fazer para ir atrás dessas coisas.

marte-2
Imagem: Arte conceitual de uma estufa marciana/NASA

A água na nossa plantação fictícia seria um pouco mais fácil de se obter para nós do que foi para a fazenda fictícia de Watney por um motivo: agora sabemos onde há água líquida em Marte. A parte difícil é que ela faz parte de uma solução de perclorato que provavelmente mata qualquer planta que tocar. Ainda assim, se der para limpar, é um dos elementos mais importantes que podemos riscar da nossa lista de ingredientes de fazenda.

Em relação ao solo, estudos mostraram que, ao menos em versões simuladas, o solo marciano é adequado para o crescimento de plantas. E qualquer missão que tenha isso em seus planos vai incluir um bom fertilizante em sua carga.

Mas e a solução improvisada de Perdido em Marte? “Ele identificou a necessidade”, explicou Wheeler”, mas acho que você provavelmente precisaria de mais. E na verdade se você reciclar os dejetos humanos, muitos estudos mostraram que a urina tem muito mais nutrientes. Também há muito nitrogênio e outros elementos úteis para plantas. Mas também há sódio, que as plantas não querem.”

marte-3
Imagem: Arte conceitual de uma plantação em cápsula/NASA

O que está errado na fazenda de Watney, e um dos maiores desafios para colonizarmos Marte, é conseguir a iluminação adequada. “Se você quer que as coisas cresçam rapidamente,” diz Wheeler”, “você vai precisar de muita luz. Pense no sol batendo em um campo durante o verão. E se você vai precisar gerar isso eletricamente, não será nada fácil.”

OK, mas não vamos plantar apenas batatas, certo?

Se você só puder ter uma colheita, não é má ideia ir de batata. “Batatas são fontes de carboidratos e têm proteína,” explicou Wheeler. “Elas não são tão ricas em proteína quanto a soja e não são uma boa fonte de ácidos graxos, então não servem como uma dieta completa. Mas elas são bastante produtivas e podem canalizar muito do crescimento para a parte comestível, o tubérculo.”

marte-4
Imagem: Astronautas em uma estufa/NASA

Até 80% de uma planta de batata é comestível, em comparação com 40% de outras sementes. Também há a facilidade no processamento: é só aquecer e servir como comida.

Claro, a escolha por batatas em Perdido em Marte não foi exatamente opcional – era o que tinha naquele momento. Então como Wheeler sugere que seja feita uma plantação em Marte que seja resultado de planejamento, e não improviso? Tomates e morangos. O motivo é que, pelo menos para as primeiras plantações em Marte, as operações provavelmente serão de pequena escala, possivelmente apenas uma pequena estufa.

Assim como os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional estão testando sua primeira colheita de alface espacial, os primeiros colonos de Marte provavelmente vão levar a maior parte das refeições empacotadas da Terra. Frutas e vegetais plantados por lá vão servir mais como complemento do que como a base da alimentação. Quanto mais tempo ficarmos por lá, no entanto, mais elaboradas e completas ficarão essas fazendas.

Foto de topo: estufa em Marte/NASA