Os cientistas do NASA Goddard Space Flight Center criaram um novo material dez vezes mais preto que a tinta preta mais preta do mundo. Ele é feita de nanotubos de carbono criados em titânio. Pra que a NASA precisa de um material assim?

Depois de passar por alguns ajustes finos de fabricação, o novo material será usado para revestir as partes internas de câmeras e telescópios no espaço. Hoje, esses instrumentos usam a tinta Z306 da NASA, uma tinta escuríssima que reduz a contaminação por fótons, absorvendo luz errática. De acordo com a NASA, essa luz “tem um jeito engraçado de ricochetear em componentes de instrumentos e contaminar medidas”.

Mas a Z306 não é preta o suficiente: 40% dos dados capturados por câmeras espaciais são inutilizados, por causa da contaminação pela luz. Com o novo revestimento mais escuro, é isto que vai acontecer:

O novo material absorve 99,5% da luz em pequenos espaços entre os nanotubos, praticamente eliminando o problema. O material está próximo de entrar em produção final, e a NASA quer usá-lo no ORCA, “o Radiômetro de Oceanos para Avaliação de Carbono, um instrumento de próxima geração criado para medir a fotossíntese marinha”. [NASA]