Pesquisadores da Nova Zelândia conseguiram recuperar a primeira gravação de uma música feita com um computador. As três simples melodias, datadas de 1951, foram produzidas a partir de uma máquina construída pelo cientista da computação britânico Alan Turing.

• Este é o som que um violino acústico impresso em 3D faz
• Eis o primeiro trailer do filme sobre a vida de Alan Turing

Turing é lembrado principalmente por ser o pai da inteligência artificial e por hackear a Enigma, máquina eletromecânica de criptografia utilizada na Segunda Guerra Mundial. Mas como o cocriador da tese de Church-Turing, ele identificou a capacidade de os computadores fazerem praticamente qualquer coisa — inclusive música.

Com a ajuda da emissora BBC, Turing fez história ao ser a primeira pessoa a usar um computador para gerar música e então gravar a canção num meio de armazenamento — neste caso, um disco de acetato de 12 polegadas. Turing criou a música no Computing Machine Laboratory em Manchester, Inglaterra, num dispositivo primitivo que ocupava um andar inteiro. As três faixas que Turing gravou eram “God Save the King”, “Ba Baa Black Sheep” e In the Mood” de Glenn Miller.

Recentemente, pesquisadores da Universidade de Canterbury, na Nova Zelândia, examinaram a única cópia conhecida das músicas. Ela ainda continha o áudio, mas ele estava muito distorcido. “As frequências na gravação não eram precisas”, dizem o professor da UC Jack Copeland e o compositor Jason Long à AFP. “A gravação nos deu apenas uma impressão aproximada de como o computador soava.”

Para recuperar as três faixas à sua forma original, os pesquisadores removeram os ruídos estranhos das gravações e ajustaram a velocidade do áudio para compensar a “oscilação” incessante. Você pode ouvir o resultado completo aqui — incluindo as reações das pessoas que estavam ouvindo a primeira música gravada por um computador.

O som tem tons característicos do digital, bem distante dos instrumentos analógicos convencionais da época. As músicas devem ter soado muito estranhas para Alan Turing e seu colaborador Christopher Strachey, que o ajudou com os arranjos.

Eles não perceberam, no entanto, que essas simples gravações eram o prenúncio da era da música digital. O trabalho pioneiro preparou o terreno não apenas para instrumentos musicais inovadores, como sintetizadores, mas também para novos gêneros musicais e novas formas de expressão.

[AFP/CTV News]

Imagem: Benedict Cumberbatch atuando como Alan Turing no filme O Jogo da Imitação.