A Gawker teve acesso ao arquivo de Steve Jobs criado pelo FBI. No meio, há coisas que já sabíamos (ou pelo menos suspeitávamos). Ele tinha inimigos? Jura? Drogas? Claro. Mas há alguns detalhes bem interessantes que chamaram nossa atenção.

Nós sempre fizemos piada do campo de distorção quando o assunto eram eventos para imprensa feitos pela Apple, mas a frase surge repetidas vezes nas investigações do FBI em 1991:

Diversos indivíduos questionaram a honestidade de sr. Jobs dizendo que Jobs torceria a verdade e o distorceria a realidade para atingir seus objetivos.

Pelo menos há uma certa argumentação com os resultados!

————————————————————————————

Aparentemente, um dos amigos e/ou associados de Jobs ficou muito impressionado com o fato de Jobs seguir filosofias orientais mas “mesmo assim se associar com pessoas de boa reputação”?

Ele relatou que o investigado vive de seu próprio modo em termos financeiros, mas no entanto se baseava em crenças religiosas novas, o que faz com que o investigado viva uma vida espartana e às vezes até com uma existência monástica. Ele adicionou, no entanto, que o investigado continua se associando com pessoas de boa reputação. Ele também relatou que apesar de o investigado não ser um engenheiro em seu senso real, ele entende a tecnologia básica e o jargão técnico a tal ponto que ele é visto como uma força inovativa na comunidade técnica, por causa das contribuições que ele fez.

————————————————————————————

Ah, é bom frisar também que Jobs terminou a faculdade com um GPA de 2.65 — o GPA é a soma dos pontos que o estudante fez dividido pelo número de matérias matriculadas. E o lance vai de 0 a 10. Estudantes jovens e meio vagabundos, vocês ainda têm chance de se transformarem em bilionários um dia.

————————————————————————————

Ah, e um bônus! Não tem nada a ver com Steve Jobs, mas a página de fax do FBI era tipo uma piada! Até eles têm hora para humor, né.

Veja mais detalhes sobre os arquivos do FBI visitando o [Gawker].