Sem dúvida, um dos componentes mais importantes em smartphones e tablets é a bateria. No entanto, a evolução não seguiu a mesma velocidade em que subiu a demanda de consumo. Essa questão do armazenamento, inclusive, não diz respeito apenas ao mundo da computação: é também um gargalo para os carros elétricos – e até mesmo para as redes de energia das cidades.

Voltando às baterias, elas melhoraram bastante nos últimos anos, mas ainda não é suficiente para nos permitir passar dias longe de uma tomada. Enquanto esse cenário ideal não se concretiza, que tal tornar o carregamento mais ágil?

É essa a proposta da tecnologia Quick Charge 2.0, da Qualcomm. Evolução do Quick Charge 1.0, presente em mais de 70 modelos já no mercado e responsável por tornar a recarga de smartphones e tablets até 40% mais rápida, a versão 2.0 virá com o Snapdragon 800 e a promessa de ir além e reduzir esse tempo em incríveis 75%.

O Quick Charge 2.0 depende de duas partes para funcionar: uma no dispositivo (via circuito integrado à parte ou embutido no circuito integrado de gerenciamento de energia do Snapdragon 800) e de um carregador de parede compatível. Quem já tiver um carregador antigo com o QC 1.0 poderá usá-lo com aparelhos QC 2.0, porém limitado à velocidade de recarga da primeira versão. O importante é que a retrocompatibilidade está garantida.

Agora, se aparelho e carregador tiverem o Quick Charge 2.0, os ganhos saltam à vista. Um tablet que leva 7 horas para ser recarregado, por exemplo, estará com 100% da sua bateria cheia em apenas 3 horas com o Quick Charge 2.0. E como essa nova versão entrega mais energia (60 watts contra 10 do QC 1.0), é possível que ela apareça até mesmo em ultrabooks.

A Qualcomm prevê que os primeiros aparelhos e carregadores de parede com o Quick Charge 2.0 estarão disponíveis no mercado no início de 2014.