A Raytheon anunciou que entregou a primeira arma laser anti-drone publicamente conhecida à Força Aérea dos EUA no início deste mês. A prestadora de serviços militares disse que a Força Aérea implantará a arma em um experimento de um ano no exterior, a fim de treinar as pessoas como usá-la e testar sua eficácia no mundo real.

Os drones, também conhecidos na comunidade militar como sistemas aéreos não tripulados (UAS) ou Vants (veículos aéreos não-tripulados), viram um tremendo salto no uso de organizações terroristas como o Estado Islâmico na última década. E enquanto a Marinha dos EUA está testando um laser anti-drone desde pelo menos 2017, esta é a primeira entrega pública de uma dessas armas à Força Aérea.

A arma de “energia direcionada” usa um sensor eletro-óptico/infravermelho para identificar possíveis ameaças antes de usar um laser para derrubar drones perigosos do céu.  O laser pode ser alimentado usando uma tomada padrão de 220 volts e, quando conectado a um gerador, pode fornecer um “número quase infinito de disparos”.

“Cinco anos atrás, poucas pessoas se preocupavam com a ameaça de drones”, disse Roy Azevedo, presidente da Raytheon Space e Airborne Systems, em comunicado publicado no site da empresa. “Agora, ouvimos sobre ataques ou incursões o tempo todo. Nossos clientes viram isso acontecer e nos pediram para desenvolver uma capacidade de defesa contra-UAS urgentemente. Fizemos exatamente isso, passando da prancheta para a entrega em menos de 24 meses”.

O vídeo postado por Raytheon no YouTube em 2018 mostra como o sistema de armas funciona para enfrentar possíveis ameaças.

Apesar da declaração da Raytheon de que esta é a “primeira” arma anti-drone dada à Força Aérea, os lasers são usados ​​pelos militares dos EUA no campo de batalha há mais de uma década. O sistema laser ZEUS foi usado pelas forças armadas dos EUA para destruir IEDs no Iraque e no Afeganistão desde 2003.

A pesquisa sobre armas laser começou quase imediatamente após o desenvolvimento dos lasers na década de 1960. As forças armadas dos EUA começaram a experimentar armas laser anti-drone desde pelo menos a década de 1970. O ARPA (agora DARPA) destruiu um drone no céu pela primeira vez em 1973 usando uma arma a laser que funcionava aquecendo o motor de uma aeronave, fazendo com que ela explodisse.