por Christina Warren

Depois de muito hype, a Nintendo lançou este mês seu primeiro jogo de Mario para smartphones. Nas primeiras 24 horas, ele foi baixado mais de 5 milhões de vezes e arrecadou entre US$ 4 milhões e US$ 8,3 milhões em todo o mundo, de acordo com empresas de monitoramento de apps.

Estes são valores mais baixos que Pokémon Go, porém ainda impressionam. Mas, segundo o Wall Street Journal, o jogo não está atingindo as expectativas dos investidores. As ações da Nintendo chegaram a cair 7,1% na Bolsa de Valores de Tóquio em um dia, com vendas que não correspondem às projeções e resenhas negativas dos usuários.

De acordo com o WSJ:

As avaliações iniciais na App Store da Apple estavam abaixo da média e as vendas ficaram abaixo da expectativa em alguns mercados. Ele não conquistou o primeiro lugar no Japão, um dos maiores mercados de jogos para smartphones do mundo, embora tenha alcançado essa posição nos EUA e em outros países.

Depois de um aumento acentuado no preço das ações da Nintendo antes do lançamento do jogo, analistas disseram que as notícias negativas levaram alguns investidores a fechar apostas de alta.

Os comentários da App Store dos usuários provavelmente não são o que a Nintendo esperava: na loja brasileira, 75% das avaliações são de uma estrela; na App Store americana, resenhas negativas também são a maioria.

Os usuários se queixam de que o app abre e fecha sem rodar; de que ele não é jogável off-line; e, especialmente, de que o jogo parece ser gratuito mas custa US$ 10 por apenas vinte e quatro fases. (A Nintendo não planeja lançar mais fases por enquanto.)

super mario run avaliacoes app store

Após o fracasso do Wii U, e com as vendas do 3DS em declínio, a Nintendo precisa de um grande sucesso, especialmente porque o console Switch ainda vai demorar meses para chegar ao mercado. Após o sucesso – mesmo que temporário – de Pokémon Go, esperava-se mais de um jogo oficial de Mario para o iPhone. Mas, em vez de trazer um jogo “de verdade” para o iOS, a Nintendo decidiu criar uma versão diluída do que você poderia esperar.

Este não é apenas um endless runner de Mario – há mais no jogo do que isso – mas ele não é um título exatamente robusto. Super Mario Run é projetado para ser jogado várias fases de uma vez com uma só mão, o que deixa os usuários querendo mais – algo especialmente verdadeiro quando desbloquear a versão completa custa US$ 10.

Além disso, como observou o Financial Post, a decisão da Nintendo de cobrar uma vez para desbloquear o jogo, ao invés de oferecer compras incrementais no app – algo que vemos em Candy Crush e também em Pokémon Go – significa que as avaliações dos usuários terão um grande impacto sobre o sucesso do jogo.

O Financial Post citou uma nota de Takao Suzuki, analista da Daiwa Securities, dizendo que esse modelo de preços “torna importantes as avaliações dos fãs mais dedicados da série Super Mario…, porque eles estarão por trás da opinião geral sobre o jogo que tomará tomar forma após seu lançamento.”

Esta não é a primeira vez que a Nintendo foi impactada negativamente pelo mundo de jogos mobile. As ações da empresa dispararam com o sucesso de Pokémon Go, mas caíram algum tempo depois porque ele não estava rendendo dinheiro.

Pokémon Go pode ter sido uma moda passageira, mas pelo menos ele trouxe algo inovador: provou que jogos de realidade aumentada com a marca certa podem ganhar as massas. Não é possível dizer o mesmo de Super Mario Run. Não se trata de um jogo ruim, mas ele também não traz nada de novo entre jogos de iPhone, e é menos do que esperaríamos da Nintendo em 2016.

A empresa planeja lançar dois a três jogos mobile por ano a partir de 2017, segundo o presidente Tatsumi Kimishima. Esperamos que essa situação tenha ensinado algo à Nintendo.

[Wall Street Journal]