No começo, essa recriação de Mario parece bem legal e direta. De repente, aparece um Obama ali, em meio a um cenário bem louco, “yes we can” e tal. Só podia ser do Japão. É fantástico, apesar da insanidade (ou por causa dela). [Daily What]