A companhia DeepMind, adquirida pelo Google, ficou conhecida por construir uma rede neural que conseguiu ganhar de um campeão de Go (um jogo de tabuleiro). Porém, agora ela está empenhada em um projeto que deverá ajudar pessoas comuns, pois trabalhará para diagnosticar cegueira.

>>> Inteligência artificial do Google não só aprendeu a jogar como conseguiu completar um clássico do Atari
>>> Lee Sedol perde partida final de Go e inteligência artificial do Google vence por 4 a 1

A equipe da DeepMind se juntou ao pessoal do NHS (Serviço Nacional de Saúde), da Inglaterra, para desenvolver um algoritmo que ajude a prever doenças dos olhos — incluindo a cegueira — apenas com imagens de olhos escaneados.

O NHS vai compartilhar de forma anônima imagens de um milhão de imagens de olhos já escaneados pelo sistema de saúde. Por sua vez, a DeepMind será treinada para detectar sinais sutis que indicam se há algo errado ou não. A ideia começou após um oftalmologista ter entrado em contato com o pessoal da DeepMind. Ele pensou que se a inteligência artificial poderia ser ensinada a jogar bem games de Atari, por que não poderia ser treinada para fazer outros tipos de reconhecimento de imagem?

Para Mustafa Suleyman, cofundador da DeepMind, o trabalho de inteligência artificial pode prever casos de cegueira que podem ser revertidos. Disse ele ao The Guardian.

“Há tanta coisa em jogo, particularmente no que diz respeito a retinopatia diabética. Se você tem diabetes, você tem 25 vezes mais chance de ficar cego. Se conseguirmos detectar isso o mais cedo que pudermos, 98% dos casos de perda de visão podem ser prevenidos.”

Esta é a segunda parceria da NHS com a DeepMind — eles usaram a tecnologia de inteligência artificial para monitorar a saúde de rins com a ajuda de um aplicativo. Os esforços anteriores foram criticados por defensores da privacidade. Este envolvendo olhos está sendo sendo avaliado por um painel de especialistas em saúde e agentes governamentais.

O Google não é a única companhia que está tentando aplicar técnicas de aprendizado de máquina ao setor de saúde. Além de uma série de startups, a IBM está treinando o Watson para criar tratamentos personalizados de câncer. Parece que a inteligência artificial vai fazer com que fiquemos mais saudáveis antes mesmo de nos dominar.

[The GuardianBusiness Insider]

Foto do topo por Timothy Krause/Flickr